Profissional de saúde estilizada como herói de quadrinho em intervenção na facada de prédio em São Paulo. — Foto: Divulgação/Secretaria da Cultura

A cidade de São Paulo completa 467 anos na segunda-feira (25) com uma programação que fará homenagem às vítimas da Covid-19 e aos profissionais que atuam na linha de frente do combate à pandemia.

Segundo a Secretaria Municipal de Cultura, as atividades deste ano foram constituídas a partir de ações de intervenção espalhadas pela cidade que não estimulem a aglomeração e que possam ser contempladas pelas pessoas principalmente por meios digitais.

Mais de 40 shows de rap, samba, rock, MPB, apresentações teatrais e apresentações de dança estarão disponíveis pelas redes sociais.

A sede do Instituto Butantan, na Zona Oeste da capital, receberá uma projeção em vídeo na sua fachada, que irá narrar os avanços da tecnologia na produção científica. O Butantan é responsável pela vacina contra a covid-19 que está sendo aplicada no Brasil, produzida em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Os profissionais de saúde serão homenageados com a intervenção “Protagonistas de Máscara”. As projeções em fechadas, realizadas em setembro nos hospitais Emílio Ribas e Clínicas, agora migram para a rua Augusta, com imagens de profissionais da saúde estilizadas como heróis de quadrinhos. Os usuários do Twitter poderão enviar mensagens de apoio, que serão projetadas por meio de captura em tempo real pela hashtag #sp467.

Na área exterior do Theatro Municipal, no Centro, acontecerá a instalação “Luminárias pela Vida”, com 900 velas solares na fachada do prédio em homenagem às vítimas da pandemia. Durante a performance, a trilha musical será realizada pela Orquestra Sinfônica Municipal sob a regência do maestro Roberto Minczuk.

Também acontecerá o projeto “Quebrada Viva”, que leva para as periferias da cidade projeções em laser de artistas independentes periféricos com frases de conscientização em mensagens que fomentam amor, esperança, cuidado e afeto.