A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a deportação dos quatro atletas argentinos que, segundo o órgão, descumpriram a regra de quarentena para entrar no país e enfrentar a seleção brasileira neste domingo, 5, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo. A entrada dos jogadores Emiliano Martínez, Emiliano Buendía, Lo Celso e Cristian Romero foi considerada irregular pela agência reguladora, que já acionou a Polícia Federal (PF). A partida está marcada para às 16h, na Neo Química Arena, em São Paulo – até a publicação desta reportagem, o jogo está mantido. Martínez e Lo Celso, inclusive, estão entre os titulares, segundo a escalação oficial divulgada pela Associação de Futebol Argentino (AFA).

“Em virtude das informações de que quatro jogadores argentinos ingressaram no Brasil descumprindo as regras sanitárias do país, ao supostamente declararem, em formulário oficial da autoridade sanitária brasileira, informações falsas, a Anvisa se reuniu com representantes do Ministério da Saúde e com a Coordenação de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo neste sábado (4/9)”, diz um trecho da nota divulgada na tarde deste domingo pela Anvisa. Segundo uma portaria do governo brasileiro, estão proibidos de entrar no país viajantes que tiveram passagem pelo Reino Unidos, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia nos últimos 14 dias. Martínez e Buendía atuam pelo West Ham, enquanto Lo Celso e Romero jogam pelo Tottenham, dois clubes ingleses.

“Ante a notícia, a Anvisa notificou de imediato o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde Nacional (CIEVS/MS), que coordena a rede CIEVS, responsável pela investigação epidemiológica junto ao estado de São Paulo e ao município de Guarulhos, para que o caso fosse investigado e rastreado. Diante da confirmação de que as informações prestadas pelos viajantes eram falsas, a Anvisa esclarece que já comunicou o fato à Polícia Federal, a fim de que as providências no âmbito da autoridade policial sejam adotadas imediatamente”, prossegue a Anvisa. A agência reguladora considera que houve “notório descumprimento” das normas de controle imigratório, o que configura uma situação de “risco sanitário grave”. O órgão finaliza o comunicado afirmando que “orientou às autoridades em saúde locais a determinarem a imediata quarentena dos jogadores, que estão impedidos de participar de qualquer atividade e devem ser impedidos de permanecer em território brasileiro”.