O governo de São Paulo segue cobrando do Ministério da Saúde a entrega de vacinas contra a Covid-19. Nesta quarta-feira, 11, o governador João Doria voltou a acusar o governo federal de não enviar a quantidade de doses previstas. Segundo ele, faltam 50 mil unidades do imunizante da Pfizer, que foram prometidas no início da semana. “Quero mandar uma mensagem para o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Ministro, aprendi com o meu pai que é feio mentir e que é feio prometer e não cumprir”, disse o político, afirmando que não conseguiu evitar a judicialização do caso. Apesar de ainda não ter recebido as 228 mil doses que ficaram faltando, a ideia é manter o calendário de vacinação de jovens e adolescentes em todo do Estado. A meta é imunizar toda a população adulta até o dia 16 de agosto, próxima segunda-feira, com pelo menos uma dose, para depois começar a vacinação dos mais novos. De acordo com cronograma, a partir do dia 18, jovens de 16 a 17 anos com alguma comorbidade ou deficiência, além de gestantes e puérperas, vão poder se imunizar. No dia 30, adolescentes de 15 a 17 anos, sem comorbidades, começam a ser vacinados e a partir de 6 de setembro será a vez do público de 12 a 14 anos. São Paulo atingiu na terça-feira o recorde de vacinação nos 645 municípios. Em um único dia, 640.500 doses foram aplicadas. o Estado já alcançou a marca de 41 milhões de vacinações, com alcance de 86% de toda a população adulta com pelo menos uma dose.

*Com informações da repórter Caterina Achutti