O ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, foi à Bolsa de Valores de São Paulo nesta sexta-feira, 13, acompanhar mais um capítulo das privatizações no país. A Agência Nacional de Transportes Aquaviários arrendou três portos: terminais para movimentos de carga em Santana, no Amapá; Fortaleza, no Ceará e Salvador, na Bahia. Apenas a área do porto de Salvador teve concorrência. O maior lance foi de R$ 15 milhões, mas, com a disputa por viva-voz, chegou ao valor de arremate por R$ 32 milhões. A vencedora foi a Intermarítima Portos e Logística. A área será arrendada por 10 anos e será usada para a movimentação de carga geral, de projetos ou containers. A área do porto de Santana, no Amapá, para movimentação de sólidos vegetais, especialmente, farelo de soja, teve proposta única de R$ 6 milhões da empresa Caramuru. O contrato de exploração vale por 25 anos.

Em Fortaleza, o terminal foi arrematado por R$ 1 milhão pela empresa Tergran, que terá prazo contratual de 25 anos. O ministro Tarcísio de Freitas destacou que o Governo Federal realizou 74 leilões em 2 anos e meio, com R$ 80 bilhões de investimentos contratados. “Eles falam que é pouco, mas, parando para pensar que o nosso orçamento anual é de R$ 6,5 bilhões, é bastante coisa. E estamos nos preparando para uma temporada de grandes leilões que virão na sequência. No setor portuário, em especial, passos firmes estão sendo dados, então aquela lógica, aquela ideia, do porto como gargalo está ficando para trás, os nossos portos estão cada vez mais eficientes. No ano passado, o setor portuário cresceu 4,2%, movimentou R$ 1,150 bilhão de tonelada, e no primeiro semestre deste ano quase 9,5%, então teremos um ano ainda melhor do que o ano passado”, afirmou. O ministro disse que no caso dos leilões em portos, os recursos serão usados para pagar dívidas. Outros nove leilões estão programados para este ano.

*Com informações do repórter Victor Moraes