Tarcísio Meira saiu de cena aos 85 anos e, assim como vários artistas ressaltaram em suas homenagens, sua memória permanecerá viva por meio da sua arte. O veterano ator estava internado em São Paulo desde o dia 6 de agosto e morreu vítima da Covid-19 nesta quinta-feira, 12. Ao lado de Glória Menezes, com quem foi casado por mais de 60 anos, ele se consagrou como um dos melhores atores da sua geração. Tarcísio possui mais 60 trabalhos na televisão – somando papéis em novelas, minisséries e especiais – e, além disso, o currículo do artista também conta com papéis importantes no cinema e no teatro.

A carreira na televisão começou no início da década 1960, na extinta TV Tupi. Em 1963, o ator integrou com Glória Menezes o elenco de “25499 Ocupado”, primeira telenovela gravada e exibida diariamente na TV Excelsior. A estreia na Globo aconteceu em 1967, emissora na qual trabalhou por 50 anos. Um dos seus trabalhos mais marcantes foi na novela “Irmãos Coragem”, exibida de 1970 a 1971. Na trama de Janete Clair, Tarcísio viveu João, o irmão mais velho da família Coragem. Glória também esteve no elenco da produção que marcou a teledramaturgia brasileira. Presença frequente nas novelas da Globo, Tarcísio ganhou o título de galã que, segundo Miguel Falabella, é uma palavra que parece ter sido inventada para ele.

O ator também fez parte do elenco da primeira versão de “Guerra dos Sexos”, em 1983, no qual se destacou por ser desafiado a fazer comédia. Outro marco da carreira do artista é “O Rei do Gado”, sucesso de 1996, no qual Tarcísio viveu o fazendeiro Berdinazzi, inimigo de Mezenga, papel de Antônio Fagundes. Em 1998, o marido de Glória dividiu cena com Tony Ramos em “Torre de Babel” e, em 2000, ele viveu o vilão Dom Jerônimo na minissérie “A Muralha”. Nas redes sociais, um dos personagens mais comentados pelos fãs nesta quinta-feira é o Duque Bóris, da cômica novela “O Beijo do Vampiro”, que ocupou a faixa das 19h na Globo, em 2002. Ele também participou de “Um Anjo Caiu do Céu”, de 2001, do sucesso “A Favorita”, de 2008, e no remake de “Saramandaia”, de 2013, o ator interpretou Tibério, personagem que literalmente criava raízes na sala de casa. O último trabalho na Globo foi na novela “Orgulho e Paixão”, exibida em 2018.

Além da longa carreira na televisão, o artista também se destacou no cinema. Tarcísio estrelou, por exemplo, a primeira adaptação de “O Beijo no Asfalto”, filme de 1981 inspirado no romance de Nelson Rodrigues. O artista também protagonizou o longa “A Idade da Terra”, de 1980, do diretor Glauber Rocha, e se destacou ao participar do filme “Casinha Pequenina”, comédia de Mazzaropi lançada em 1963. Tarcísio também atuou no teatro e o seu último trabalho foi o espetáculo “O Camareiro”, que apresentou de 2019 a 2020, em São Paulo, com o ator Cassio Scapin.