O adiamento da conclusão do edital do sistema 5G foi o principal assunto discutido entre os representantes de telefonia do país em um evento que aconteceu na Zona Sul de São Paulo. Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, o ministro Fábio Faria se disse surpreso sobre a decisão do conselheiro do Tribunal de Contas da União (TCU), Moisés Queiroz Moreira, em pedir vistas para avaliar o edital do leilão mais uma vez. “Nós trabalhamos com a expectativa de que nós pudéssemos, antes da votação, sanar todo tipo de questionamento. Isso não foi possível, mas é um direito legítimo do conselheiro. Eu alertei devido a importância que o edital tem para o Brasil. O 5G pertence aos brasileiros, pertence ao país. Nós temos um estudo mostrando uma perda de R$ 100 milhões a cada dia que o 5G não funciona no Brasil”, disse o ministro. A última etapa antes da publicação do edital do leilão é a aprovação pelo Conselho Diretor da Anatel. A previsão era para que o leilão ocorresse em julho.

No evento serão ofertadas quatro faixas de frequência de internet móvel de 5ª geração. Essas faixas funcionam como avenidas para transmissão de dados. O direito de exploração das faixas será de até 20 anos. O leilão será realizado em dois lotes divididos entre nacionais e regionais. Além disso, a vantagem do sistema 5G será a velocidade da transmissão de dados. As operadoras são obrigadas a levar internet móvel para as rodovias do país, para os locais isolados e também levar o 5G para todas as capitais do país. De acordo com o Ministério das Comunicações, o leilão vai ser o maior processo licitatório da história do país, inclusive em arrecadação. O ministro Fabio Faria garantiu que a população carente também vai receber o sinal. “R$ 56 bilhões, onde quase R$ 40 bilhões serão investimentos no setor para que não tenha, em pleno 2021, 40 milhões de brasileiros sem acesso à internet. Isso está no nosso dia a dia. Todo mundo acorda e vai até a hora de dormir utilizando internet, seja via WhatsApp, seja entrando nas redes sociais ou se conectando aos sites. E essas pessoas estão sem isso”, explicou Faria. A previsão do Ministério das Comunicações é de ter o sistema 5G operando no Brasil até julho de 2022.

*Com informações do repórter Maicon Mendes