Ema, do diretor Pablo Larraín, está em cartaz nos cinemas e conta a história da mulher que dá o título ao filme. A dançarina Ema (Mariana Di Girolamo) é casada com Gastón (Gael García Bernal), um coreógrafo. O casal está sofrendo com um traumático evento que fez com que seu filho adotivo, Paco, fosse devolvido.

Além da perda afetiva, Ema e Gastón observam a relação ruir — e a música faz parte de todo o processo. A direção de Larraín é pulsante, assim como as cores que integram os cenários. Apesar de a sensação de estar assistindo a um videoclipe ininterrupto ser um pouco desgastante, a poesia das imagens garante uma boa experiência.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 18 de agosto de 2021, edição nº 2751