Ao completar quarenta anos de carreira, a atriz Grace Gianoukas, 57, ainda se lembra de como subiu aos palcos pela primeira vez: totalmente nua. “Quando vi que o figurino era um pano branco, tirei minha calcinha vermelha que ficava aparecendo por baixo, só que a ponta do tecido ficou presa em uma farpa e não sobrou nada. A partir dali, ganhei muitos fãs”, diverte-se.

Sua coleção de lembranças na profissão vai render um livro, Viagem a Graceland, além de um novo espetáculo com textos próprios. “Com o tempo livre, aproveitei para botar meus arquivos em ordem”, conta. No Clube Barbixas de Comédia, ela também estreia Grace em Revista no dia 25 de setembro, com antigas personagens e histórias do projeto humorístico Terça Insana, criado há vinte anos. “Sou sagitariana, gosto de cutucar e sempre usei a comédia como ferramenta para isso.”

Na quarentena, ela e o marido se mudaram para o bairro do Butantã, viraram “pais de planta” com um grande jardim em casa e realizaram o sonho de adotar cachorros pela primeira vez. “Pude rever como quero viver daqui para a frente. Tive épocas em que não parava em casa por mais do que dois dias na semana. Não quero mais nada que os meus braços não possam alcançar.”

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 15 de setembro de 2021, edição nº 2755