Na Fissura do Tempo reúne 23 obras de Thiago Toes. Uma delas é a pintura Íris, a Deusa do Arco-Íris (2021), que traz uma narrativa enigmática, com uma personagem, um objeto (taça) e dois padrões abstratos. “Li muito sobre tarô mitológico enquanto produzia esse trabalho. A taça remete à carta da temperança, que fala de mudanças que não são abruptas”, explica Toes, que traz O Mago e O Louco (2021), o encontro entre referências clássicas e algo meio Caipira Picando Fumo (1893), de Almeida Júnior.

O Mago e O Louco (2021), de Thiago ToesFilipe Berndt/Divulgação

> Centro Cultural dos Correios. Praça Pedro Lessa, s/n, Vale do Anhangabaú, centro, ☎ 2102-3691. Segunda a sexta, 10h às 17h. Grátis. Até 24 de setembro.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 15 de setembro de 2021, edição nº 2755