Estado de SP tem 9,5 milhões de veículos rodando com licenciamento atrasado e que podem ser apreendidos

0
0


A retirada no Detran-SP pode custar mais de R$ 660,00 entre taxas, multas e diária de pátio em um único dia. A falta de pagamento do licenciamento deixou de arrecadar até o fim de agosto cerca de R$ 947 milhões aos cofres públicos do estado de SP. Em SP, 4 em cada 10 motoristas devem licenciamento do carro
O estado de São Paulo tem cerca de 9,5 milhões de carros rodando de forma irregular, com dívidas do licenciamento do veículo, segundo o Detran-SP.
São cerca de quatro em cada dez motoristas do estado trafegando com risco de terem o carro ou a moto apreendidos.
O licenciamento vence de acordo com o final da placa de cada veículo. Na capital paulista, são 2,403 milhões motoristas inadimplentes, porque não licenciaram carros, motos e caminhões esse ano de 2021.
Recuperar o carro em caso de apreensão sai muito mais caro, segundo o auxiliar de instalação Washington Luiz da Cruz Santos. A moto dele ficou no pátio do Detran, no bairro do Ipiranga, na Zona Sul, por cinco dias. Ela foi apreendida pela polícia porque estava com o licenciamento vencido há 15 dias.
Carros na Avenida Rubem Berta em São Paulo
RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
As taxas pagas pelo Washington para recuperar a moto custaram quase 40% do que ele gastou para comprar a moto.
“No caso, tô em obra em casa, então dei uma atrasada mesmo. Mas eu ia pagar o mês que vem, né. Retirar ela com todo esse prejuízo saiu R$ 1.300”, afirmou o rapaz.
Para licenciar um veículo, o motorista paga R$ 98,91. Não licenciar, como aconteceu com o Washington Luiz da Cruz Santos, saiu muito mais caro.
Depois que um carro é apreendido, se o proprietário quiser ele de volta, terá que gastar muito mais do que o licenciamento. A multa, gravíssima, que dá sete pontos na carteira, é de R$ 293,47. O guincho que trás o carro para o pátio do Detran-SP custa R$ 320,00. Cada dia que o carro ficar apreendido sai por R$ 32,00. Tem taxa até para tirar o carro do pátio: R$15,76. Total de R$ 661,23.
E se o carro tiver algum problema de conservação, como um vidro trincado, só sai do pátio sobre um guincho. São mais R$ 150,00 de prejuízo.
Apesar de tantas taxas, o número de inadimplentes é considerado elevado pelo diretor de educação e fiscalização do Detran-SP.
“É um número que nos preocupa, mas levando em consideração que estamos em um ano excepcional, talvez isso tenha essa explicação desse período de pandemia, mas é um número alto”, afirmou Juan Carlos Sanchez.
Segundo o Detran-SP, o estado tem uma frota em circulação de 25,2 milhões de veículos.
Por causa da falta de pagamento do licenciamento, o estado de São Paulo deixou de arrecadar até o fim de agosto cerca de R$ 947 milhões.
Segundo o doutor em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), Vladimir Fernandes Maciel, especialista em Mobilidade e Trânsito, o dinheiro poderia ser usado para o bem dos próprios motoristas.
“De um lado fazer a fiscalização, e para o lado, do cidadão, mostra que de fato esse dinheiro arrecadado virá em medidas de maior segurança, fluidez de trânsito, em investimento de infraestrutura e o apoio de outras formas de transporte que não o veículo”, afirmou Maciel.
VÍDEOS: Tudo sobre São Paulo e região metropolitana