Segundo a pasta da Segurança, Rafael dos Santos foi indiciado pela Polícia Civil pelos crimes cometidos na segunda (16) na Vila Maria, Zona Norte de São Paulo. Ele matou Maria Cecília Barbosa após ter feito a mulher refém na casa onde ela morava. Agressor foi baleado pela Polícia Militar e acabou levado para hospital, onde está internado com escolta. VÍDEO: Homem mata esposa que era mantida refém e atira em 3 policiais em SP
O homem preso na segunda-feira (16) em São Paulo por matar a ex-esposa e atirar em três policiais militares responderá por feminicídio e tentativas de homicídio, informou a Secretaria da Segurança Pública (SSP). Os motivos dos crimes ainda são investigados. Vídeo gravado por uma testemunha e que circula nas redes sociais mostra o agressor ao lado do corpo da mulher na varanda (veja acima).
De acordo com a pasta, Rafael dos Santos, de 36 anos, foi indiciado na Polícia Civil pelo assassinato de Maria Cecília Barbosa, de 42. Ele estava armado e matou a vítima com um tiro na cabeça, quando a mantinha refém na casa onde ela morava, na Vila Maria, Zona Norte da capital paulista.
Leia também
Ligue 180: saiba como denunciar violência doméstica
1 em cada 4 mulheres foi vítima de violência na pandemia
9% das mulheres brasileiras já sofreram agressão sexual
O agressor ainda atirou em três agentes da Polícia Militar (PM) que estavam usando escudos para se proteger e tentavam negociar a rendição dele e a liberação da vítima. Um dos PMs foi ferido na perna, outro no braço e o terceiro no colete à prova de balas. Depois os policiais revidaram e atiraram em Rafael, que foi detido em flagrante.
Quatro das cinco pessoas baleadas foram socorridas e acabaram levadas para hospitais da região. Maria morreu no local do crime. Rafael foi encaminhado em estado grave para o Hospital de Guarulhos, na Grande São Paulo, onde foi operado. Até a última atualização desta reportagem, ele continuava internado na mesma unidade médica.
Os três policiais atingidos pelos disparos feitos pelo homem foram para o Hospital do Vermelhinho, onde acabaram atendidos e liberados.
O caso foi registrado no 73º Distrito Policial (DP), Jaçanã, mas será investigado pelo 90º DP, Parque Novo Mundo. O feminicídio é uma qualificadora do crime de homicídio. Pela lei ele ocorre quando o agressor mata a vítima pelo fato de ela ser mulher, num contexto de violência doméstica.
O G1 não conseguiu localizar a defesa de Rafael para comentar o assunto.
Homem mata esposa que era mantida refém e atira em 3 policiais na Zona Norte de SP
Homem disse que se renderia
A Polícia Militar recebeu um chamado por volta das 16h porque um homem estaria mantendo sua esposa como refém em uma casa na Avenida Ernesto Augusto Lopes.
Os primeiros PMs que que chegaram ao local acionaram o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da Polícia Militar para negociar a rendição de Rafael e a liberação de Maria. Mas o esquadrão especializado não conseguiu chegar a tempo de impedir que ele atirasse na mulher, segundo informações do Comando de Operações Especiais da PM.
De acordo com o major Hugo Maeda, comandante do 5º Batalhão da PM, o homem provavelmente já havia atingido a esposa com um tiro na cabeça quando os primeiros policiais chegaram ao local.
“Havia já a informação de disparo de arma de fogo, mas não constava que havia feminicídio ainda. […] Muito provavelmente ele já tinha atingido a esposa na cabeça e aí quando os policiais chegaram é que ele não queria se render”, disse Maeda.
O comandante falou ainda que, quando as viaturas chegaram ao local do chamado, o atirador disse que iria se render.
“Com a aproximação das viaturas, é uma rua bem estreita, os policiais foram desembarcados, para ter um pouquinho mais de segurança. A principio, ele [o atirador] disse que ia se render. Quando eles chegaram bem mais próximo, aí ele começou a efetuar disparos e atingiu três policiais. Aí houve um revide, ele acabou sendo atingido e aí nessa sequencia ele foi desarmado e então socorrido”, disse Maeda.