Rogério Balioti está preso temporariamente pelo assassinato de Daniel Mazjoub. O crime foi cometido no sábado (7) e acabou gravado por câmera de segurança. O comerciante disse à polícia que arma disparou sozinha. Suspeito de matar advogado em briga de trânsito se entrega à polícia em São Paulo
O comerciante Rogério Aparecido Inácio Balioti, de 39 anos, preso temporariamente por suspeita de matar o advogado Daniel Mourad Mazjoub, de 47 anos, durante discussão de trânsito em São Paulo, disse à Polícia Civil que atirou acidentalmente na vítima depois de ter sido agredido por ela.
Uma câmera de segurança gravou o crime, que ocorreu no sábado (7) na Avenida Nova Cantareira, em Santana, Zona Norte da cidade (veja vídeo acima). As imagens mostram Daniel saindo de seu Jeep Compass branco para discutir com Rogério, que está num Audi A4 prata, porque ele o teria “fechado” antes com seu carro. Em seguida, o advogado se afasta do veículo e aparece cambaleando, até cair e ser socorrido pela esposa e pelo filho de 17 anos. Daniel foi socorrido, mas morreu no hospital.
Foi por meio das imagens da câmera de segurança que a investigação identificou a placa e o motorista do Audi, que fugiu depois do crime.
A mulher de Rogério, que estava com o comerciante e a filha de 5 anos no Audi no momento do crime, deu uma versão diferente à investigação policial para o que aconteceu: ela falou em seu depoimento que o marido sacou a arma e disparou contra o advogado em legítima defesa, depois que Daniel deu dois tapas no rosto do comerciante.
Daniel Majzoub, 47 anos, morto a tiros após discussão de trânsito na Zona Norte de São Paulo, neste sábado (7)
Reprodução/Redes Sociais
O comerciante
Rogério fugiu após o crime e jogou a arma num rio. Ela não foi encontrada. O Audi do comerciante que aparece nas imagens foi localizado e apreendido na quarta-feira (11) pela polícia na garagem de uma casa no Jardim Tremembé, também na Zona Norte. Os policiais ainda encontraram munição na residência.
No mesmo dia, Rogério se apresentou na delegacia que investiga o crime acompanhado da esposa e de um advogado. O caso foi foi registrado como homicídio doloso, aquele no qual há a intenção de matar, no 20º Distrito Policial (DP), Água Fria.
Ainda na quarta, a Justiça decretou a prisão temporária do comerciante pelo período de 30 dias a pedido da polícia. Rogério foi levado para a carceragem do 2º DP, no Bom Retiro, região central da capital.
Polícia Civil encontra carro Audi que pode ter sido usado por motorista suspeito de balear e matar advogado Daniel Mourad Mazjoub na Zona Norte de São Paulo
Reprodução/Polícia Civil
‘Tiro acidental’
A delegada Fabiana Angerami, que investiga o caso, falou que o comerciante contou em seu interrogatório que voltava do trabalho com a família e não costuma andar armado. Mas, segundo a polícia, ele disse que no sábado resolveu se armar para procurar um cachorro da família que estaria perdido após entrar numa comunidade da região.
“Teve uma ‘fechada’ entre o veículo Compass e o dele [de Rogério], que é o Audi, aí eles começaram a se xingar no trânsito. Aí, mesmo dizendo estar armado, ele disse que o advogado, Daniel, a vítima, desceu do veículo, foi até o lado dele e desferiu socos na cara dele. Ele falou que ficou atordoado”, falou a delegada.
Segundo ela, Rogério alegou depois que o tiro no advogado foi “acidental”. “Ele [o comerciante] falou que tentou engatilhar a arma para amedrontar e que, sem intenção, disparou a arma”, falou Fabiana.
Armas
O Brasil dobrou o número de armas nas mãos de civis em apenas três anos, de acordo com dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública.
Em 2017, segundo a Polícia Federal, o Sistema Nacional de Armas (Sinarm) contabilizava 637.972 registros de armas ativos. Ao final de 2020, o número subiu para 1.279.491 – um aumento de mais de 100%.
VEÍCULOS: Tudo sobre São Paulo e região metropolitana