A Abtra garante às suas associadas que movimentam cargas no Porto de Santos um desconto exclusivo no melhor serviço de rastreamento de contêineres de exportação e importação. A Abtra (Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados) mantém convênio com a Techscan, empresa especializada em sistemas de inteligência para segurança, que garante às empresas associadas que movimentam cargas de importação e exportação no Porto de Santos o serviço de locação de lacres eletrônicos inteligentes e de rastreamento de todo o percurso do contêiner de exportação ou de importação com preço bem mais atrativo do que o praticado no mercado.
Contêiner
Divulgação ABTRA
Esse serviço garante o monitoramento do percurso do contêiner em tempo real ao longo de toda a cadeia logística, a partir do envio de sinais a cada dois minutos e sem necessidade de recarga de bateria. Cada lacre também possui um sistema que alerta imediatamente qualquer tentativa de interferência ou abertura do contêiner.
O desconto é exclusivo para associados da Abtra.
Se a sua empresa administra IPA, EADI, CLIA, REDEX ou Terminal Portuário, faça parte da ABTRA.
Fale com a gente. Visite o nosso site para mais detalhes: www.abtra.org.br
Empresa associada da ABTRA conta ainda com mais esses benefícios:
A ABTRA representa institucionalmente suas empresas associadas junto a Receita Federal, Aduanas, Mapa/Vigiagro, Anvisa, Ibama e demais órgãos anuentes na liberação de cargas de importação e exportação.
Defende as demandas e necessidades de suas associadas perante os órgãos responsáveis pela implantação dos programas Portal Único do Comércio Exterior e Operador Econômico Autorizado e demais compromissos assumidos pelo Brasil como signatário do Acordo de Facilitação do Comércio Mundial.
Representa as associadas na Comissão de Facilitação do Comércio (Colfac) no Porto de Santos e no Comitê Nacional de Facilitação de Comércio (Confac).
Representa a classe empresarial nos Conselhos De Autoridade Portuária (CAPs).
Inova em sistemas de comunidade portuária, em colaboração com os agentes públicos do comércio exterior.
Agrega valor e contribui para a melhoria da eficiência operacional de suas associadas, a partir de uma representação institucional efetiva e da oferta de soluções tecnológicas com economicidade comprovada.
Defende os interesses comuns junto ao Ministério da Infraestrutura, Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Antaq e Companhias Docas, em atuação conjunta com outras entidades que compõem a coalizão do setor, propondo o aperfeiçoamento do marco regulatório.
Influi nas demais pautas de interesse das associadas discutidas e votadas no Congresso Nacional e em análise pelo TCU e STF.
Administra grupos técnicos de trabalho com foco operacional, em tecnologia da informação, recursos humanos, farmácia e imagem & comunicação, que discutem entraves operacionais, propõem soluções para dinamizar os serviços prestados pelas associadas e alinham ações setoriais junto às várias autoridades do setor.
Mantém acordos de colaboração técnico-científica com centros de formação nacionais e internacionais que incluem intercâmbio de conhecimentos, descontos e bolsas de estudo oferecidas aos associados.
Oferece uma síntese diária comentada das principais notícias divulgadas pela mídia, produz e divulga conteúdos informativos, mantém relacionamento com a imprensa e com as assessorias de comunicação e relações institucionais das associadas, promovendo a boa imagem do setor junto aos seus vários públicos de interesse.
Promove, patrocina e apoia fóruns e eventos, contribui na definição das programações, indica conteúdos e palestrantes, e negocia a participação e a exposição das marcas de suas associadas, além de condições especiais nas inscrições.
Adota política de compliance e de governança corporativa, em conformidade com o seu Estatuto Social e seu Código de Ética, e com base em planejamento estratégico anual.
Saiba mais sobre a ABTRA
A ABTRA reúne e representa as principais empresas administradoras de recintos alfandegados focados na movimentação e armazenagem de cargas de importação e exportação, sobretudo nas questões relativas ao despacho aduaneiro e à anuência dessas cargas.
Defende os interesses comuns de suas associadas perante os Poderes Públicos, demais entidades e agentes envolvidos com a logística de transporte do comércio exterior, contribuindo no aprimoramento de medidas governamentais e de políticas efetivas.
Atua sobretudo na construção de uma agenda positiva para o setor e na proposição de parcerias público-privadas com os órgãos anuentes, provendo também soluções tecnológicas comunitárias integradas para agilizar o fluxo logístico das cargas de importação e exportação.
A ABTRA também é reconhecida como pioneira no desenvolvimento de sistemas tecnológicos de comunidade portuária e a maior incentivadora da inovação tecnológica no setor.
Nossa Missão
Congregar e representar institucionalmente empresas que administram instalações portuárias alfandegadas, onde é realizada a anuência de cargas de importação e exportação, defendendo seus interesses comuns, bem como prover soluções tecnológicas para agilizar o fluxo logístico portuário do comércio exterior brasileiro, atuando em parceria com os órgãos públicos anuentes.
Nossa Visão
Ser reconhecida como entidade nacional representativa dos terminais de carga sob anuência aduaneira, parceira consolidada do Poder Público e líder na inovação tecnológica dos processos logísticos do comércio exterior.
Parceria Público-Privada
A relação permanente da ABTRA com os órgãos anuentes do comércio exterior vem se traduzindo também na criação e manutenção de sistemas de comunidade portuária, que ajudam a reduzir o tempo de liberação das cargas e os custos desse processo, em benefício das instalações alfandegadas associadas.
Esses sistemas permitem a comunicação dos dados entre os agentes públicos e as instalações privadas, o que contribui para agilizar o despacho aduaneiro e a inspeção das cargas e também aprimorar o controle de riscos fiscais, ambientais e fitossanitários, aperfeiçoar a vigilância e garantir o acesso e o deslocamento de pessoas e veículos nessas áreas.
Eles são rateados a preço de custo entre as empresas associadas que utilizam cada um desses sistemas, uma vez que a ABTRA é uma entidade de classe sem objetivos comerciais e sem fins lucrativos. Como são operados em parceria público-privada, os órgãos públicos não arcam com nenhum valor.
Os sistemas criados e mantidos pela ABTRA no Porto de Santos, reunidos na Janela Única Portuária (JUP), permitem rastrear todas as etapas percorridas pelas cargas de importação nesse porto.
Conheça os nossos sistemas
Declaração de transferência eletrônica de cargas (DTE)
É um sistema de controle aduaneiro que registra o status da carga de importação a cada etapa desse processo, incluindo a previsão de chegada (antes de o navio atracar no cais), a descarga no terminal, a movimentação, o trânsito aduaneiro, a fiscalização e, por fim, a liberação e entrega ao importador.
É gerido pela Alfândega do Porto de Santos e utilizado por ela, pelas empresas que fazem a operação portuária, pelos recintos alfandegados e pela ABTRA, que promove a integração sistêmica desses agentes.
Banco de dados comum de credenciamento (BDCC)
É um sistema de cadastramento de empresas, pessoas e veículos pré-autorizados pela Alfândega a entrar nas áreas alfandegadas do Porto de Santos. A autorização efetiva para a entrada é processada nos sistemas individuais existentes nas portarias dos recintos alfandegados, considerando o cadastro atualizado oferecido pelo BDCC e a motivação para o acesso.
Qualquer comportamento irregular da pessoa e/ou do veículo pré-autorizado cadastrado no sistema é avaliado pela Alfândega, que pode inclusive bloquear o acesso aos demais recintos, sendo que decisão é atualizada em tempo real em todos os sistemas de controle de acesso integrados ao BDCC.
Central de operação e vigilância (COV)
É um sistema que permite à Alfândega do Porto de Santos monitorar, à distância e em tempo real, a movimentação física de cargas, pessoas e veículos nas operações portuárias, nos recintos alfandegados e também nas áreas, gates, perímetros e acessos às instalações portuárias. A COV integra também todas as imagens provenientes das inspeções não invasivas de contêineres obtidas nos escâneres.
Consiste em um videowall e estações de trabalho na Alfândega, por onde os fiscais visualizam os dados de leitores de OCR e as imagens de 2.500 câmeras e 15 escâneres instalados nos recintos e que também servem de apoio à gestão de risco da Receita Federal no porto.
Integração SIGVIG
Disponibiliza ao Vigiagro os dados dos recintos alfandegados no Porto de Santos sobre a entrada de contêineres contendo madeira em palets ou embalagens, bem como de cargas soltas embaladas com madeira, de modo que a fiscalização decida a necessidade ou não da inspeção física do contêiner e/ou da carga.
Isso é feito por meio de uma integração com o Sistema de Informações Gerenciais do Trânsito Internacional de Produtos e Insumos Agropecuários (SIGVIG). O objetivo é impedir a entrada de pragas no País que possam prejudicar o agronegócio.
Posicionamento Anvisa
É uma interface disponibilizada aos fiscais da Anvisa no Porto de Santos para agilizar a liberação das cargas de importação sob controle sanitário dessa agência, com o objetivo de prevenir e eliminar riscos que elas possam causar à saúde da população.
Os recintos alfandegados consultam essa interface para conhecer o tratamento que a Anvisa dará à carga, podendo ser inspeção física, análise documental, destruição e liberação, dentre outros. No caso de inspeção física, a interface é utilizada também para o agendamento dessa atividade.
Centro de conferência física remota (CONFERE)
Esse sistema permite à Alfândega do Porto de Santos fazer, de forma remota, o agendamento e a conferência física em tempo real das cargas parametrizadas no Canal Vermelho.
Envolve estações de trabalho e câmeras fixas e móveis instaladas nos recintos alfandegados que possibilitam aos fiscais acompanhar as imagens transmitidas on-line da abertura dos contêineres e conferir as cargas diretamente do edifício-sede da Aduana em Santos.
Centro de conferência física remota-agro (CONFERE-AGRO)
Permite à equipe do Vigiagro no Porto de Santos agendar nos recintos alfandegados o posicionamento das cargas de importação controladas por esse órgão que foram parametrizadas no Canal Vermelho, como também inspecioná-las remotamente de seu edifício-sede em Santos.
Envolve estações de trabalho e as mesmas câmeras instaladas nos recintos alfandegados utilizadas pela Alfândega no sistema CONFERE. O foco inicial é conferência da rotulagem de produtos como bebidas, azeites, fertilizantes, defensivos e insumos pecuários.
Banco de dados de cargas perigosas (BDCP)
Registra em tempo real a posição dos contêineres de importação e exportação contendo cargas perigosas classificadas pela IMO/ONU nos terminais associados à ABTRA no Porto de Santos. Permite a rápida atuação das autoridades no combate a sinistros com cada tipo de carga perigosa, pois está integrado com o Manual de Atendimento a Emergências de Produtos Perigosos adotado pela ABIQUIM.
Container security initiative (CSI)
Implantado em vários portos do mundo após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, permite a fiscalização dos contêineres com destino aos Estados Unidos antes de serem embarcados. No Porto de Santos, desde 2005, os fiscais aduaneiros norte-americanos trabalham em conjunto com a Alfândega na gestão de risco, análise e inspeção documental e física desses contêineres para a liberação do embarque. Isso traz vantagem competitiva ao exportador brasileiro usuário desse porto.
Boletim de carga
Transmite à Autoridade Portuária os dados das operações de embarque e desembarque de cargas (volumes, perdas, navio e berço) registrados pelas instalações portuárias de contêineres e granéis associadas da ABTRA no Porto de Santos.
Guia eletrônica para movimentação de contêineres de importação (E-GMCI)
É utilizada pelos associados da ABTRA no Porto de Santos para registro dos dados sobre o trânsito de contêineres de importação entre os terminais portuários responsáveis pela descarga até os recintos alfandegados depositários. Pode substituir o formulário impresso da GMCI.
O sistema emite um ticket de saída da carga contendo um QR Code, que serve para leitura dos dados da guia eletrônica pelo agente de trânsito, numa eventual fiscalização. Permite também ao recinto alfandegado fazer o gerenciamento de risco durante todo o percurso.