Município oferece infraestrutura básica completa para as empresas e está em localização que facilita o escoamento da produção industrial para os grandes centros de consumo. A cidade de Botucatu, no interior do estado de São Paulo, que tem se destacado nas medidas de prevenção à Covid-19 (cidade com mais de 100 mil habitantes no Estado com menor índice de mortalidade e 2ª com menor letalidade), também apresenta forte tendência para uma rápida retomada da economia.
O primeiro dado que comprova isso é o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Governo Federal, que apontou saldo muito positivo na criação de postos de trabalho no município no ano.
O saldo de geração de empregos alcançou o número positivo de 1081 postos de trabalho em 2021, nos setores do Comércio, Serviços, Indústria, Agropecuária e Construção Civil.
“Estamos percebendo essa retomada com a criação de postos de trabalho. É muito bom ver todos os setores contratando e gerando oportunidades à nossa população. Continuaremos trabalhando com investimentos na Cidade para que, além de oferecerem qualidade de vida aos moradores, sejam atrativos para empresas que queiram crescer e se desenvolver aqui”, afirmou o Prefeito Mário Pardini.
Mas afinal, o que Botucatu tem de diferente?
A “Terra dos Bons Ares”, como é conhecida a Cidade, participa de um estudo promovido pelo Ministério da Saúde, Universidade de Oxford, laboratório Astrazeneca, Unesp e Prefeitura, para conhecer a eficácia do imunizante contra a Covid-19 quando aplicado em massa.
Toda a população maior de 18 anos recebeu a primeira dose da vacina contra o coronavírus e receberá a segunda dose neste mês de agosto. Mesmo com apenas uma dose aplicada na maior parte dos botucatuenses, o resultado já começa a aparecer na diminuição expressiva de novos casos, internações e mortes em decorrência da doença.
Em Botucatu, toda a população maior de 18 anos já recebeu a primeira dose da vacina contra o coronavírus
Prefeitura de Botucatu/Divulgação
Para o mercado empresarial, Botucatu está muito bem servida de conhecimento científico e técnico. Além de dois campi da Unesp, a Cidade possui uma Fatec, uma Etec e unidades do Sistema S (SENAI, Sebrae e Senac), além de diversas universidades privadas, que garantem qualificação profissional à população.
Além da mão de obra especializada, Botucatu já possui em seu território grandes empresas metalúrgicas, como a Caio, encarroçadora de ônibus urbanos, a Irizar, que atua com o transporte rodoviário, a Embraer, que tem importante parte de sua produção nacional sendo executada na Cidade, e de outros ramos, como a Eucatex, que atua na construção civil, indústria moveleira e revenda madeireira. Com isso, o município se torna atrativo também para empresas prestadoras de serviços e fornecedoras de insumos para essas grandes instituições.
“Botucatu está pronta para a retomada plena da economia. Medidas sanitárias responsáveis adotadas durante a pandemia, aliadas à uma administração que priorizou dotar o município de infraestrutura básica completa para oferecer às empresas que aqui querem aportar, já estão mostrando resultados claros, sendo exemplo a instalação no município da maior indústria de revestimento cerâmico do país. Além dessa infraestrutura, nossa localização geográfica faz com que o escoamento da produção industrial atinja os grandes centros de consumo, outro grande motivo que justifica a retomada”, citou Junot de Lara Carvalho, Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda.
Outro detalhe importante são os recursos que a Cidade oferece às empresas, como a ampla rede de gás natural encanado, espalhada por toda a Cidade e área rural, e também a capacidade hídrica.
Uma das maiores obras do estado de São Paulo está sendo executada em Botucatu. Uma barragem de acumulação de água, a barragem do Rio Pardo, que garantirá a autossuficiência no abastecimento de água no Município para a população e indústrias nas próximas 6 ou 7 décadas.
Barragem do Rio Pardo garantirá a autossuficiência no abastecimento de água em Botucatu
Prefeitura de Botucatu/Divulgação
A represa a ser formada pela obra que já está em execução e tem previsão para estar concluída e operando em 2023, terá volume total de reservação de 9 bilhões de litros de água, com 566 metros de extensão e profundidade que varia entre 15 e 20 metros.
Empresas já apostam em Botucatu
Um exemplo claro de empresas que apostam em Botucatu para se instalar e expandir sua produção vem da Dexco. Com um investimento de R$ 600 milhões e capacidade de produção de 10 milhões de m² de revestimento cerâmico por ano, a companhia terá a primeira fábrica com tecnologia 4.0 desde sua inauguração, no Município. Todas as linhas de produção iniciarão seus trabalhos já robotizadas, com auto diagnóstico de máquinas e prontuários para manutenção via mobile.
O prazo de construção da planta é de aproximadamente 2 anos. A empresa estima a geração de 350 empregos diretos na região e planeja a entrega da primeira linha de produtos produzidos no local para 2023.
“Escolhemos Botucatu pensando na distribuição e no custo logístico, visto que aqui temos maior proximidade com os mercados em expansão do Centro Oeste e Nordeste do país, além de maior disponibilidade de gás natural. Além disso, outro fator é a proximidade com outras fábricas da companhia, como a de pisos laminados de madeira em Agudos e a de louças e metais em Jundiaí”, explicou Antônio Joaquim de Oliveira, presidente da Dexco, durante coletiva do anúncio da vinda da empresa para Botucatu, no dia 16 de julho.
Fabricante de revestimento cerâmico estima a geração de 350 empregos diretos na região de Botucatu
Dexco/Divulgação
Infraestrutura disponível
O principal investimento no Município visando a geração de novos empregos e a atração de novas empresas é a construção do Distrito Industrial 4. Localizado ao lado do Distrito 3, a área já teve as ruas abertas, instalação de guias e sarjetas e da estrutura de energia elétrica e esgoto.
A expectativa do Poder Público Municipal é de que até o fim de 2021 o local já esteja totalmente pronto para receber novas empresas e indústrias, com 140 lotes de 1.000 m² cada.
Botucatu investe na construção do Distrito Industrial 4 para fomentar a geração de empregos
Prefeitura de Botucatu/Divulgação
Ao todo são mais de 67 mil m² de terraplenagem e abertura de ruas executados; mais de 3 km de infraestrutura para drenagem de águas pluviais concluídas; e implantação da rede de energia elétrica e iluminação com luminárias de LED, contabilizando 113 postes e pontos de luz com potência de 150W.
Outro local que o Município disponibiliza para a instalação de empresas é o Parque Tecnológico, que já abriga 10 empresas de tecnologia em salas e laboratórios, outras 6 em seu espaço de coworking, e 6 em áreas externas (terrenos), viabilizando a construção de suas plantas.
O Parque gerencia ainda mais duas incubadoras, que possuem outras 12 empresas em funcionamento.
Parque Tecnológico de Botucatu foi inaugurado em 2015 e abriga diversas empresas
Prefeitura de Botucatu/Divulgação