Das 64 unidades básicas que ofertam a imunização, dez aplicaram menos de 90% das doses recebidas, sendo que nove ficam nas regiões mais periféricas. Prefeitura reconhece que locais são os últimos a fechar agenda, e que há casos de cancelamentos. Saúde destaca que imunizantes são remanejados e que não existe perda. Aplicação de vacina contra Covid-19 em Campinas (SP)
Carlos Bassan/PMC
Centros de saúde das regiões Noroeste e Norte de Campinas (SP) são os que registram menores índices de doses da vacina contra Covid-19 aplicadas em relação às recebidas, segundo levantamento da Secretaria de Saúde a pedido do G1.
No período entre 12 a 31 de julho de 2021, dez dos 64 postos que atendem a campanha municipal apresentaram índice inferior a 90% – e nove deles ficam nas regiões dos distritos do Campo Grande e do Nova Aparecida. Apenas um na região Sul, o Centro de Saúde Vila Rica – veja tabela abaixo.
De acordo com a prefeitura, as unidades básicas mais afastadas da região central costumam ser as últimas a fechar agenda e uma hipótese para o resultado está em eventuais cancelamentos de quem fez o agendamento no posto da periferia.
Ainda segundo a administração, isso não significa que moradores dessas regiões deixam de procurar a imunização, mas que é comum que as aplicações ocorram em outras áreas, muitas vezes na região central, próxima do local de trabalho de parte desses moradores.
‘Doses não são perdidas’
Valéria Almeida, infectologista e coordenadora da Vigilância de agravos e doenças de Campinas, explica que as doses enviadas aos centros são para atender a agenda daquela unidade, e que mesmo sem as aplicações, não há perda dos imunizantes.
“Se não são aplicadas, elas voltam para o sistema ou são remanejadas. Avaliamos o que é preciso para o dia seguinte, e daí só é enviado o que precisa. As doses não são perdidas”, diz.
Desistências
Sobre os resultados, Valéria destaca que a maioria dos casos envolve desistências ou reagendamentos. Para quem deixa de comparecer sem justificar, há uma suspensão de 30 dias para novo cadastro.
“Tem pessoas que agendam e ocorre um imprevisto, ou não comparece porque está com suspeita da doença ou mesmo casos de pessoas que marcam e não se comprometem tanto, e às vezes cancelam. Imaginamos que possa ser isso”, pontua.
Ainda segundo a infectologista, a procura pela vacinação segue intensa, sendo os postos do Centro e do Taquaral os que mais recebem demanda, com aplicação de 100% das doses enviadas.
“Uma coisa que pode ocorrer nessas regiões mais afastadas é que a população atendida na campanha no momento se vacine em outras regiões, mais próximas do trabalho, o que fica mais fácil. Sabemos que nessas regiões o perfil da população também é mais jovem, e pode ser que a procura para doses nesses locais aumente assim que as faixas etárias vão diminuindo”, avalia Valéria.
Agendamento
Campinas já começou a vacinar moradores a partir dos 25 anos, mas desde a última terça-feira (3) novos agendamentos estão suspensos por falta de doses. A prefeitura informa que depende do recebimento de mais imunizantes para reativar os cadastros.
Veja quem pode ser vacinado hoje e tire dúvidas sobre o esquema
Acompanhe a evolução da imunização na região de Campinas
Vacina e Covid-19: Quais são as reações mais comuns das vacinas?
Punições para quem recusar vacina ou faltar
Em Campinas não é permitido escolher a vacina. Moradores que recusarem a dose no momento da aplicação serão enviados para o fim da fila da campanha de imunização.
Já os que faltarem na aplicação terão que esperar 30 dias para fazer novo agendamento. Cabe recurso das punições junto à prefeitura.
VÍDEOS: veja o que é destaque na região de Campinas
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.