Candidato do PSOL participou nesta terça (17) de caminhada na Zona Sul e criticou projetos do atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), candidato à reeleição, além de prometer duplicar a estrada do M’Boi Mirim e levar mais médicos para os hospitais e postos de saúde da região. O candidato do PSOL, Guilherme Boulos, discursa durante caminhada realizada nesta terça (17) na estrada do M’Boi Mirim, na Zona Sul de SP.
Walace Lara/TV Globo
O candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, disse nesta terça-feira (17) que “não esconde apoio” e que a capital paulista quer mudança: “Derrotamos o Bolsonaro no 1° turno, agora vai ser o Doria”, afirmou.
Boulos participou de uma caminhada na região do Jardim Angela, na Zona Sul, e, ao contrário do 1° turno, quando o candidato evitava grandes aglomerações, nesta terça (17) ele não conseguiu escapar dos militantes e eleitores que o cercaram durante todo o trajeto, pedindo fotos e o questionando sobre alguns problemas municipais.
“Vou acabar com a máfia do lixo”, disse Boulos dentro de um açougue para um motorista de aplicativo que queria saber quais eram os planos dele para aumentar a reciclagem do lixo. “Vou lutar pra isso, tenha certeza, mas você sabe que não é algo fácil, por causa dos interesses das grandes empresas”, explicou Boulos.
Guilherme Boulos (PSOL) conversa com motorista de aplicativo em um açougue do Jardim Ângela, Zona Sul de SP.
Walace Lara/TV Globo
A agenda do candidato do PSOL começou com atraso por causa da chuva que caiu na avenida M’Boi Mirim durante a manhã. Boulos voltou a dizer que, se for eleito prefeito, vai duplicar a avenida: “A partir de janeiro do ano que vem, o orçamento da cidade não vai para fazer reforma de R$ 100 milhões no Vale Anhangabaú. Vai vir para duplicar a estrada do M’Boi Mirim com corredor de ônibus”.
A caminhada no M’Boi Mirim foi acompanhada pelo vereador reeleito do PT, Antonio Donato, que participou pela primeira vez de evento de campanha do candidato depois que o Partido dos Trabalhadores decidiu na noite desta segunda-feira (16) apoiar oficialmente o candidato do PSOL no 2° turno.
Covas e Boulos disputam 2º turno em São Paulo
Acompanhe os resultados do 1º turno das Eleições 2020 em 29 municípios da Região Metropolitana de SP
Veja a apuração completa para prefeito e vereador em SP
Veja a apuração completa para prefeito e vereador no país
O vereador reeleito do PT, Antonio Donato, participa de evento de campanha de Guilherme Boulos (PSOL), após o PT anunciar apoio ao candidato no 2° turno em SP.
Walace Lara/TV Globo
No evento, Boulos criticou as ações do atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), que tenta a reeleição e disse que o projeto dele tem lado: “É o lado do povo e do combate à desigualdade”.
“A partir de 1° de janeiro, o orçamento da cidade não vai ser para recapear ruas às vésperas da eleição, de forma eleitoreira e oportunista. Quebrar calçada que estava nova para poder fazer jogada eleitoral. O orçamento vai vir pra trazer mais médicos, mais posto de saúde aqui para o hospital do M’Boi e para toda a região do fundão e Jardim Ângela. O nosso projeto tem lado. É o lado do povo e do combate à desigualdade. Não dá pra aceitar na cidade mais rica do Brasil tenha gente mexendo no lixo, procurando comida. Essa é a realidade atual. A cidade mais rica tem gente revirando lixo, procurando comida pra comer”, afirmou o candidato do PSOL.
Com menos de 60% de urnas apuradas, Boulos fala sobre disputa de 2º turno com Covas
2° turno
O segundo turno das eleições para prefeito de São Paulo foi definido na noite deste domingo (15), quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou que Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL) foram os candidatos mais votados na primeira parte da disputa para prefeito de São Paulo.
Segundo a Justiça Eleitoral, Covas teve 32,85% (1.747.938 votos válidos) e Boulos, 20,24% (1.077.168 votos válidos).
Veja a apuração completa para prefeito e vereador em SP
Veja a apuração completa para prefeito e vereador no país
Após saber do resultado das urnas, Boulos agradeceu aos paulistanos pelo ‘voto na esperança’ e disse que ‘radicalismo’ é a ‘cidade mais rica do país ter gente revirando lixo’.
Do outro lado, o candidato Bruno Covas afirmou que São Paulo quer experiência para enfrentar o radicalismo.
Os dois candidatos se enfrentam nas urnas no domingo (29), data marcada pelo TSE para a realização do segundo turno em todo o Brasil. Ao menos 57 cidades em todo o Brasil terão 2° turno. 
Veja o que disseram Bruno Covas e Guilherme Boulos após 1º turno das eleições em SP
Perfil
Boulos nasceu em São Paulo e tem 38 anos. É coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) e membro da direção do movimento “Frente Povo Sem Medo”. Filósofo, professor, ativista e psicanalista, graduou-se em filosofia pela USP e especializou-se em Psicologia Clínica pela PUC. Também é mestre em psiquiatria pela USP. Em 2018, concorreu à Presidência da República pelo PSOL e obteve 617 mil votos, ou 0,58% do total de válidos.
Entre as suas principais propostas para a Prefeitura de São Paulo estão a criação de um programa de distribuição de renda para vulneráveis, abertura de concurso para médicos, construção de novas moradias populares e uso social de imóveis abandonados e regularização de camelôs.
Sua vice, Erundina, já foi prefeita de São Paulo pelo PT entre 1989 e 1992.
VÍDEOS: Primeiro turno das eleições municipais 2020 em São Paulo
Boulos participou de uma caminhada na região oAo contrário do 1° turno, quando o candidato evitava grandes aglomerações, nesta terça (17) ele não conseguiu escapar dos militantes e eleitores que o cercaram durante todo o trajeto pedindo fotos e o questionando sobre alguns problemas municipais.