Em comum, propostas focam setores como mobilidade, saúde e emprego como prioridades. Candidatos defendem ainda sustentabilidade e enxugamento da máquina pública. O segundo turno das eleições para prefeito de São Paulo será disputado entre Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL), no próximo dia 29 de novembro. Por isso, o G1 resumiu os principais pontos das propostas de governo dos dois candidatos.
Bruno Covas (PSDB)
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes nesta sexta-feira (14).
Roberto Casimiro/Estadão Conteúdo
Número de páginas: 46
Resumo: O objetivo do plano de governo de Bruno Covas é “levar a cidade de São Paulo a um novo patamar de desenvolvimento social, econômico e urbano”. O candidato avalia que é capaz de “apresentar as soluções mais adequadas para que a metrópole atue como motor da melhoria de vida das pessoas”. Pretende fortalecer a participação do cidadão no desenvolvimento da cidade, “com criatividade” e parcerias, e também defende menos polarização, a ética e a incorporação da dimensão ambiental em todas as áreas da gestão pública.
Dentre os eixos programáticos para a nova gestão, Covas pretende lançar programas voltados para o desenvolvimento e saúde infantil. Ele promete ainda a criação do “maior programa habitacional e de urbanização da história de São Paulo”, além de reverter o acirramento das desigualdades sociais e diminuir o peso do estado, promovendo privatizações.
(Veja o plano completo de Bruno Covas aqui)
Guilherme Boulos (PSOL)
Guilherme Boulos, coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e candidato do PSOL
Celso Tavares/G1
Número de páginas: 62
Resumo: Os dois eixos programáticos do programa de governo do candidato têm como fio condutor “a melhoria dos serviços prestados pela Prefeitura a partir da valorização do funcionalismo público municipal.” Para promover a retomada econômica em meio à pandemia, o candidato propõe um plano para ser executado nos primeiros 180 dias de gestão, com ações na saúde pública, na geração de emprego e renda e na moradia e cidadania.
Um dos 24 eixos do programa é o combate ao racismo, no qual o candidato propõe a constituição de um Fundo Municipal de Políticas de Combate ao Racismo, com um percentual fixo do orçamento municipal. Para aumentar o orçamento, o candidato quer promover “uma reforma tributária, baseada na proporcionalidade e na progressividade da cobrança de impostos”, com elevação da alíquota de ISS para instituições financeiras e aumento do valor da tarifa do IPTU para mansões. Na segurança pública, Boulos promete que oficiais da GCM vão receber “capacitação para inibir a violência contra mulher, combater o racismo e a lgbtfobia.”
(Veja o plano completo de Guilherme Boulos)
Initial plugin text