Ao todo, 143.337 de um total de 441,8 mil eleitores não compareceram às urnas no domingo (15). Segundo sociólogo, ausência é atribuída principalmente à descrença em relação à política. Eleição em Ribeirão Preto registra o maior número de abstenção da história
O primeiro turno das eleições municipais terminou com um índice recorde de 32,4% de abstenções em Ribeirão Preto (SP) neste domingo (15). Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam que 143.337 dos 441.845 eleitores aptos não compareceram às urnas.
Esta é a maior taxa de abstenção da história. Os números superam os do segundo turno das eleições municipais de 2016, quando a cidade registrou índice de 27,5% e apresentou a maior taxa em todo o país, quando a média era de 19,5%.
Se somados os mais de 46 mil votos nulos (30.222) e brancos (16.000), a proporção de pessoas que não escolheu candidatos no primeiro turno chega quase a metade do eleitorado local, com 189.559 mil eleitores, 35,2 mil a menos do total de votos válidos.
Duarte Nogueira (PSDB) recebeu 45,3% dos votos dados a todos os candidatos, e Suely Vilela (PSB), 20,72%. Eles vão disputar o segundo turno das eleições no dia 29 de novembro.
ELEIÇÕES 2020 – DOMINGO (15) – RIBEIRÃO PRETO (SP): Cartaz alerta sobre seções fechadas na Escola Dom Alberto José Gonçalves, nos Campos Elíseos
Érico Andrade/G1
Descrença política
A ausência é atribuída não só à pandemia de Covid-19, mas à descrença em relação à política, analisa o sociólogo Wlaumir Souza.
“A eleição não apaixonou a população, porque os candidatos não tinham proposta de transformação social. A questão mais falada no país inteiro nas eleições são saúde, geralmente, e educação. Estas são questões que os governos não respondem adequadamente”, diz.
ELEIÇÕES 2020 – DOMINGO (15) – RIBEIRÃO PRETO (SP): A poucos instantes do fechamento dos portões, eleitores aguardam para votar na Escola Dom Alberto José Gonçalves, nos Campos Elíseos
Érico Andrade/G1
Fique por dentro das Eleições 2020 na região de Ribeirão Preto
Assista ao EPTV 2 de segunda-feira (16)