Candidato do PL a prefeito da metrópole informou também que pretende fazer convênios com universidades e cortar secretarias. Político disputa o segundo turno das eleições. Rafa Zimbaldi (PL), candidato a prefeito de Campinas, dá entrevista ao EPTV 1
O candidato a prefeito de Campinas (SP) Rafa Zimbaldi (PL) afirmou, nesta quinta-feira (19), que, se eleito, pretende propor para hospitais particulares do município pagarem impostos com atendimentos feitos no Sistema Único de Saúde (SUS). Em entrevista ao EPTV 1, o político disse que o projeto tem a intenção de melhorar o sistema público da cidade e diminuir a fila de consultas e exames nos postos.
“A Saúde tem dinheiro, o que precisa é priorizar e modernizar a gestão. (…) Nós vamos implantar o Fila Zero. Ou seja, em parceria com a rede privada, os consultórios médicos particulares, laboratórios e hospitais particulares vão pagar parte dos seus impostos em atendimento a população para a gente zerar as filas de consultas e exames em no máximo 180 dias”, explicou o candidato.
O deputado estadual e ex-vereador de Campinas ficou em segundo lugar nas eleições do último domingo (15) com 103.397 votos (21,86% dos válidos), atrás de Dário Saadi (Republicanos), que teve 121.932 (25,78% dos válidos) e agora será seu adversário no segundo turno, marcado para o dia 29 de novembro. Veja como foi a votação e o resultado do 1º turno na metrópole.
Ainda na área de Saúde, Zimbaldi falou que pretende fazer convênios com a Unicamp e a PUC-Campinas para que as universidades também auxiliem no atendimento à população e na melhora da gestão no setor. “Nós vamos buscar aquilo que nós temos de melhor. Duas faculdades de medicina que nós perdemos os alunos para outras cidades porque a prefeitura não aproveita. Vamos equipar os nossos postos de saúde e levar médicos para esses postos através do convênio”, falou.
Rafa Zimbaldi (PL), candidato a prefeito de Campinas, dá entrevista ao EPTV 1.
Reprodução/EPTV 1
Corte de secretarias
No seu plano de governo, o candidato promete economizar R$ 100 milhões nos primeiros 100 dias de mandato. Questionado sobre como exatamente ele pretende fazer isso, o político explicou que tem a intenção de reduzir as secretarias de Campinas, que atualmente são 25, mas não informou qual será o número durante a sua gestão.
“O gabinete do prefeito tem orçamento de R$ 58 milhões. Em cargos comissionados, gasta R$ 80 milhões. Fora as secretarias, o quanto elas custam, com carros, telefone. Nós vamos reduzir secretarias, priorizar a extinção de secretarias-meio, que não atingem a população diretamente e deixar só as pastas prioritárias. Uma cidade como Campinas ter 25 secretarias é inadmissível”, afirmou.
Zimbaldi foi o primeiro dos candidatos a prefeito de Campinas no segundo turno entrevistados ao vivo no EPTV 1. Nesta sexta-feira (20), será a vez de Dário Saadi. A ordem foi definida por sorteio.
VÍDEOS: mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias
Veja mais notícias da região no G1 Campinas