Candidata foi vereadora três vezes em Votorantim (2009-2020) e foi eleita ao cargo de prefeita com 28,35% dos votos, sendo 14.719, no domingo (15). Fabíola Alves é eleita a primeira prefeita de Votorantim
Divulgação
Fabíola Alves (PSDB) foi eleita prefeita de Votorantim (SP), neste domingo (15), e se tornou a primeira mulher a conquistar o cargo na história política da cidade. Com 14.719 votos, que correspondem a 28,35% do total, ela derrotou Fernando (DEM).
A candidata foi vereadora em três mandatos na cidade. Em 2009, Fabíola foi considerada a mais jovem entre os eleitos ao cargo de vereador. Em 2012, foi a mais votada entre os candidatos, com 3,66%, que representam 2.301 votos.
Em entrevista ao G1, a futura prefeita, Fabíola Alves da Silva Pedrico, de 37 anos, conta sobre os desafios que enfrentou durante a carreira e como foi ser a única mulher na Câmara dos Vereadores durante dois mandatos.
“No começo era um pouco difícil. Era um ambiente majoritariamente masculino, principalmente, quando a gente trazia pautas em relação à mulher. Eu sentia falta de ter uma representatividade da mulher”, conta.
São nove cadeiras que compõe a Câmara dos Vereadores de Votorantim e apenas homens foram eleitos para a gestão de 2021.
Fabíola Alves é arquiteta e urbanista, pós-graduada em Cidade e Sustentabilidade e especialista em Gestão Pública Municipal. Ela é filha de Erinaldo Alves da Silva, prefeito por quatro vezes da cidade.
Rodrigo Kriguer também foi eleito para vice na chapa. Ambos fazem parte da coligação “Fé no Futuro”, formada pelos partidos PODE, PDT, PMN e PSDB.
Plano de governo
Segundo Fabíola, ela planejou a candidatura há seis anos e escreveu o plano de governo para a cidade durante 12 meses, com base em relatos de moradores e análises de técnicos.
“O meu plano de governo fala de aproximar um pouco mais das pessoas para a gestão pública. Eu pretendo incluir a tecnologia para que as pessoas tenham mais acesso e facilite a parte administrativa. Com isso, vou ter um controle maior dos gastos na prefeitura”, explica Fabíola.
Ainda de acordo com a candidata, com a pandemia, o foco para a gestão de 2021 será em educação e saúde. Ela também cita a questão habitacional que apresenta um déficit na cidade. Além da geração de empregos.
“Acho que o conhecimento é muito importante, cada mandato foi único e diferente. Hoje estou muito mais capacitada do que quando eu entrei.”
Veja mais notícias da região em G1 Sorocaba e Jundiaí