Mulher tenta arrecadar dinheiro para trazer criança, que era cuidada pelos avós, para Sorocaba, no interior de SP; instituto ajuda na campanha. Haitiana tenta trazer filho ao Brasil após avós com quem criança morava morrerem em terremoto no Haiti
Arquivo Pessoal
Uma haitiana de 30 anos que mora em Sorocaba, interior de São Paulo, está tentando trazer o filho de 6 anos para o Brasil depois que os avós com quem a criança morava morrerem no terremoto de magnitude 7,2 que atingiu o país no dia 14 de agosto.
Segundo a assistente social da ONG Instituto Kayton em Ação, Carla Cristina, para tentar uma vida melhor, a haitiana Ismanuella Colas chegou no Brasil há dois meses com o marido e, enquanto se adaptava, o menino estava com os avós no Haiti.
Com a morte dos avós, o filho está sob cuidados de amigos e colegas. Com isso, a ONG está ajudando a arrecadar doações.
“Ismanuella mantém contato com o filho que está passando por dificuldades no país, podendo até estar passando fome. Ela está grávida de 6 meses e com problemas de saúde”, diz.
O preço para trazer o menino para o Brasil é em torno de R$ 6 mil, dependendo do valor do dólar. As arrecadações começaram no fim de agosto e até agora eles têm cerca de R$ 700. Além do valor da passagem, é necessário um visto.
“O primeiro passo é fazer uma declaração assinada pela mãe para que alguém que está no Haiti com o menino tenha a autonomia de abrir o processo de passaporte e visto”, diz.
Ainda de acordo com Carla, o instituto está oferecendo aulas de português, cesta básica, roupas e sapatos. Também montou todo o enxoval para ajudá-la e está organizando bazares para a arrecadação de dinheiro.
“Queremos muito que ela consiga trazer o filho, ela está ficando doente”, explica.
Sobre o Instituto
Instituto Kayton em Ação em Sorocaba que atende famílias haitianas e em situação de vulnerabilidade social
Arquivo Pessoal
O Instituto Kayton em Ação surgiu em 2020 a partir de ações sociais para famílias haitianas e em situação de vulnerabilidade social em Sorocaba.
O objetivo é contribuir no atendimento integral a imigrantes e a refugiados, incluindo migrantes internos, atuando na defesa de seus direitos em favor de políticas públicas, articulação da rede institucional, assistência pastoral, sócio jurídica e humanitária, para promover o respeito à sua dignidade e favorecer integração social e cidadão.
Terremoto no Haiti
VÍDEO: Veja imagens da destruição causada por terremoto no Haiti
Um terremoto de magnitude 4,9 atingiu o Haiti na noite do dia 18, informou o UGSG, instituto dos Estados Unidos que monitora os tremores em todo mundo. Os edifícios tremeram na cidade de Les Cayes, no sul do país.
O Haiti ainda nem tinha se recuperado do potente terremoto de magnitude 7,2 de sábado (14) e da passagem do ciclone tropical Grace na segunda-feira (17). O governo informou que, com o novo fenômeno, o número de mortos subiu para 2.189. Doze mil pessoas se feriram e outras 32 são consideradas desaparecidas.
O forte terremoto de sábado destruiu 2.868 edificações e danificou 5.410, disseram as autoridades. A situação deixou no limite os hospitais e os danos bloquearam estradas por onde são transportados suprimentos vitais para as vítimas.
No domingo (15), um terremoto de magnitude 5,9 foi notificado pelo o Centro Sismológico Europeu do Mediterrâneo (EMSC, na sigla em inglês). O tremor aconteceu a uma profundidade de 8 km (4,97 milhas), disse a EMSC.
O primeiro-ministro do Haiti, Ariel Henry, decretou estado de emergência por 30 dias. Henry lamentou as mortes e disse, em nota, que já mobilizou recursos do governo para dar apoio às vítimas.
Pessoas passam diante de uma casa destruída pelo terremoto em Les Cayes, no Haiti
Joseph Odelyn/AP
*Sob supervisão de Paola Patriarca
VÍDEOS: assista às reportagens da TV TEM
Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí