O processo de vacinar o paciente com a primeira dose de AstraZeneca e a segunda com Pfizer é autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A Prefeitura de Itaquaquecetuba divulgou nesta terça-feira (14) que começou a utilizar a vacina da Pfizer para a segunda dose de quem tomou a primeira da AstraZeneca. A medida foi autorizada pelo governo do estado, que alegou atraso na entrega de doses do imunizante pelo Ministério da Saúde.
O processo de vacinar o paciente com a primeira dose de AstraZeneca e a segunda com Pfizer é autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
Ainda de acordo com a administração municipal, a princípio, os pacientes estavam assinando um termo que veio juntamente com a nota técnica do governo estadual, no momento em que recebessem a dose, mas, depois a secretaria passou a utilizar a própria ficha do VaciVida para ciência do usuário.
A Secretaria de Estado da Saúde informou na tarde desta terça-feira que o Centro de Vigilância Epidemiológica esclareceu que o documento citado não é obrigatório, sendo facultada ao município a sua utilização, conforme consta em nota informativa do CVE. Trata-se de um Termo de Ciência e, como o próprio nome diz, visa informar ao próprio cidadão sobre a estratégia de imunização com intercambialidade.
Assista a mais notícias do Alto Tietê