Rapaz perdeu metade do dedo indicador da mão direita. Cirurgia foi realizada em um hospital de Praia Grande, no litoral paulista. Jovem teve o dedo da mão necrosado após acidente
Arquivo Pessoal
Após uma semana de internação, o jovem que teve o dedo necrosado após ser picado por uma aranha passou por uma cirurgia e teve de amputar metade do membro, em um hospital de Praia Grande, no litoral de São Paulo. Após o acidente, Danilo Freitas Cutolo, de 29 anos, esperou 42 dias para ser internado.
O rapaz se feriu no dia 1º de outubro, enquanto limpava um terreno em Mongaguá, cidade vizinha. Depois disso, o dedo indicador da mão direita começou a inchar e doer, até que necrosou. Segundo a mãe, Maria de Fátima Freitas, o filho foi picado por uma aranha armadeira (Phoneutria nigriventer), e o antibiótico receitado pela equipe médica da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Samambaia não adiantou.
Após tentar interná-lo algumas vezes, a mãe conseguiu atendimento para Danilo no Hospital Irmã Dulce, onde ele ficou sob cuidados médicos por uma semana, até passar pelo procedimento cirúrgico, nesta quinta-feira (19). Conforme explica a mãe, no início, os médicos não achavam que parte do dedo teria de ser amputado.
Homem teve dedo necrosado após ser picado por aranha em Mongaguá, SP
Arquivo Pessoal
“Eles [médico] falaram que iam só fazer uma raspagem, e que não teria que cortar. Mas, hoje, na hora da raspagem mesmo, o médico falou que ia ter mesmo que tirar metade do dedo. Ele [Danilo] me falou que ficou muito nervoso. Foi tenso para ele”, explica.
O procedimento durou pouco mais de duas horas e foi feito com sedação local. Maria explica que, para ela, como mãe, foi difícil ver o sofrimento do filho por mais de 40 dias. “Se tivesse sido no começo, não ia precisar amputar. O médico falou que, se não tirasse, ele estaria correndo risco de morte”, finaliza. Ainda segundo a mãe, a previsão de alta hospitalar para Danilo é nesta sexta-feira (20).
Aranha armadeira
Veneno da aranha armadeira costuma agir mais rápido que o da maioria das serpentes
Arquivo TG
As aranhas armadeiras, também conhecidas como aranhas-da-banana, costumam ser bem agressivas. Facilmente encontradas na América do Sul, seu habitat comum é o interior de residências, quintais e jardins, sobretudo em casas campestres e de veraneio.
Como são crepusculares e noturnas, preferem lugares escuros, buracos na terra ou sob a vegetação e troncos de árvores. No caso das bananeiras, costuma ficar entre os cachos da fruta. Ao G1, o biólogo Willianilson Pessoa explicou que o veneno dela é bem nocivo.
“Dependendo da demora para o tratamento, pode ser fatal. Pessoas com problemas de saúde podem ser mais vulneráveis em casos de acidente, mas é importante ressaltar que qualquer um que tenha se acidentado com qualquer animal peçonhento recorra imediatamente a atendimento médico”, finaliza.
VÍDEOS: mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias