Universitária de 23 anos se vacinou na manhã deste sábado (14), em Jundiaí (SP). Tia de 64 anos morreu em julho do ano passado após testar positivo para Covid. Jovem de 23 anos se veste de princesa Bela para homenagear tia morta com Covid
Arquivo Pessoal/Mariane Moura
Foi com o clássico vestido amarelo como o da princesa Bela, personagem da Disney de “A Bela e a Fera”, que a universitária Mariane Moura Levada, de 23 anos, resolveu se vacinar contra a Covid na manhã deste sábado (14), em Jundiaí (SP). A transformação foi para homenagear a tia que morreu com Covid-19 no ano passado e que sempre a chamava de “princesinha” (veja vídeo abaixo).
“Eu faço cosplay e tinha esse vestido em casa. Então, quando soube que ia me vacinar, olhei o vestdo e tive essa ideia de fazer homenagem para minha tia Cleide, que sempre me chamava de princesinha. Estava esperando tanto pela primeira dose da vacina e achei que era o momento certo. Então, onde quer que ela esteja, hoje eu sei que ela viu que a princesinha dela se vacinou e estou muito feliz “, afirmou.
Jovem se ‘transforma’ em princesa para se vacinar contra Covid em homenagem à tia morta
A mãe de Mariane afirmou ao G1 que a irmã dela, Cleide Aparecida dos Santos Moura, de 64 anos, tinha doença de Chagas. Em julho do ano passado ela passou mal e precisou ser internada.
Durante a internação, Cleide foi submetida a um exame de Covid, que constatou a doença. Uma semana depois, ela não resistiu e morreu.
“Foi tudo muito rápido. Ela já estava debilitada por conta da Doença de Chagas. Aí, veio a Covid. Na causa da morte estavam as duas doenças. Ela morava perto da gente, cuidada de nós. Então, ver minha filha fazendo essa homenagem, ainda mais porque só faltava ela na família para ser vacinada, foi emocionante. Torcemos para que tudo possa melhorar”, afirmou Cristeria de Moura Levada.
Jovem de Jundiaí vestida de princesa para homenagear tia que morreu com Covid
Arquivo Pessoal/Mariane Moura
Mariane ainda ressalta que ficou emocionada quando entrou na Unidade Básica de Saúde na Vila Maringá para receber a primeira dose da vacina e todo mundo aplaudiu.
“Foi a alegria das pessoas e fiquei muito emocionada. Aplaudiram, tiraram fotos e isso se tornou um dia alegre para muitos que estavam se vacinando. Isso não tem preço”, diz.
“Era um amor muito grande entre mim e ela. Ela não teve filhos e eu era praticamente a filha dela. Eu perdi minhas avós muito cedo. Ela foi minha avó, minha mãe, minha melhor amiga. Ela cuidou da minha mãe e cuidou de mim. Feliz que depois de um ano da morte dela eu pude fazer essa homenagem e a destacar. Fiquei muito emocionada”, ressaltou.
Mariane com a tia Cleide na última viagem que fizeram juntas
Arquivo Pessoal/Mariane Moura
Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí