Candidato a prefeito de Goiânia está internado em UTI, entubado e sedado. Uma máquina ajuda na oxigenação do sangue. Político luta contra a doença há um mês. Maguito Vilela, em foto tirada no dia 12 de novembro, antes de ser entubado pela segunda vez
Reprodução
O candidato a prefeito de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), tem apresentado uma melhora “lenta e progressiva” na inflamação dos pulmões, causada pela Covid-19. Lutando há um mês contra a doença, ele está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital em São Paulo, entubado e sedado.
Segundo o boletim médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein nesta sexta-feira (20), Maguito segue ligado a um aparelho chamado ECMO, que funciona como um coração e pulmões artificiais, como forma de auxiliar na oxigenação do sangue. O quadro de saúde dele é considerado estável.
Vilela foi o candidato mais bem votado no 1º turno das eleições em Goiânia e vai disputar o 2º turno com Vanderlan Cardoso (PSD) no dia 29 de novembro. O político recebeu 217.194 votos, o que representa 36,02% dos votos válidos.
A equipe de campanha do candidato também desmentiu na quinta-feira (19) a informação de que o político teria morrido de Covid-19.
Tratamento contra a Covid-19
O político testou positivo para o coronavírus no último 20 de outubro. Dois dias depois, foi internado em um hospital de Goiânia.
Em 27 de outubro, ele recebeu diagnóstico de até 75% de inflamação nos pulmões e um alerta para o do nível crítico de saturação de oxigênio no sangue. No mesmo dia, foi transferido para São Paulo.
Em 30 de outubro, Maguito foi entubado, pela primeira vez, após piora no quadro respiratório. Em 8 de novembro, ele voltou a respirar sem o equipamento. O político apresentou piora e foi entubado pela segunda vez, no último domingo (15), dia da votação.
Dois dias depois, o candidato iniciou um tratamento respiratório com uma máquina chamada ECMO, que funciona como os pulmões e o coração de forma artificial.
Em agosto deste ano, Maguito perdeu duas irmãs para a Covid-19 em um intervalo de menos de dez dias. Elas tinham 82 e 76 anos e moravam em Jataí, cidade natal do político localizada no sudoeste de Goiás.
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
VÍDEOS: coronavírus em Goiás