Índice de vereadoras eleitas cresceu 2,6%, mas está abaixo da média nacional nas eleições 2020. A participação das mulheres nas câmaras municipais das regiões de Sorocaba e Jundiaí (SP) terá um leve crescimento a partir de 2021: 2,6%. Na prática, elas passarão de 28 para 35 entre os 260 parlamentares de 21 cidades.
Apesar do aumento, o percentual de mulheres nos legislativos da região (13,4%) segue abaixo da média nacional (16%) e longe de refletir a distribuição entre os gêneros no Brasil, que é de 51,8% de mulheres e 48,2% de homens, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) do IBGE, em 2019.
A cidade da região que mais elevou a participação feminina em seu legislativo para 2021 foi Mairinque (SP). Atualmente, nenhuma mulher ocupa uma das 13 cadeiras na câmara da cidade, enquanto que, a partir do ano que vem, serão três.
Por outro lado, Itatiba (SP) vai cortar pela metade as mulheres de sua casa de leis, passando de quatro para duas. Curiosamente, Itatiba é uma das únicas cidades da região a ter uma mulher como vereadora mais votada na cidade: trata-se de Leila Bedani (PSDB), que recebeu 1.505 votos.
O outro caso de mulher mais votada foi em Piedade (SP), onde Maria Vicentina (PSD), que já foi prefeita da cidade, recebeu 1.243 votos.
Sem representatividade
Três cidades das regiões de Sorocaba e Jundiaí não contarão com nenhuma representante feminina na próxima legislatura: Salto, Várzea Paulista e Votorantim (SP).
Destas, apenas Votorantim conta com uma mulher em sua câmara atualmente. Trata-se de Fabíola Alves (PSDB), que se elegeu prefeita e, portanto, deixa o legislativo no fim do ano.
Ao menos uma representante
Além de Mairinque, outras duas cidades da região que não têm mulheres em suas câmaras passarão a contar com alguma representante em 2021.
Em Jundiaí (SP), das 19 cadeiras, que atualmente são todas ocupadas por homens, uma passará a ter uma vereadora. O mesmo acontecerá em São Roque (SP), que na atual legislatura não tem mulheres entre seus 15 parlamentares e passará a contar com uma nos próximos quatro anos.
Um terço e nada mais
Na legislatura que se inicia no próximo dia 1º de janeiro, nenhuma cidade das regiões de Sorocaba e Jundiaí contará com mais de três mulheres no poder legislativo. Dessa forma, o município com maior representatividade feminina em proporção será Cabreúva (SP).
O município já conta com – e manterá – três mulheres em sua Câmara Municipal. Ao todo, Cabreúva tem nove vereadores e, dessa forma, o público feminino representa um terço do parlamento.
Veja o número de mulheres eleitas vereadoras nas cidades das regiões de Sorocaba e Jundiaí:
Alumínio – 9 vereadores, 1 mulher
Araçariguama – 11 vereadores, 2 mulheres
Araçoiaba da Serra – 9 vereadores, 2 mulheres
Cabreúva – 9 vereadores, 3 mulheres
Campo Limpo Paulista – 13 vereadores, 2 mulheres
Capela do Alto – 11 vereadores, 2 mulheres
Iperó – 11 vereadores, 2 mulheres
Itatiba – 17 vereadores, 2 mulheres
Itu – 13 vereadores, 3 mulheres
Itupeva – 13 vereadores, 2 mulheres
Jarinu – 11 vereadores, 2 mulheres
Jundiaí – 19 vereadores, 1 mulher
Mairinque – 13 vereadores, 3 mulheres
Piedade – 13 vereadores, 2 mulheres
Porto Feliz – 11 vereadores, 1 mulher
Salto – 11 vereadores, nenhuma mulher
Salto de Pirapora – 9 vereadores, 2 mulheres
São Roque – 15 vereadores, 1 mulher
Sorocaba – 20 vereadores, 2 mulheres
Várzea Paulista – 11 vereadores, nenhuma mulher
Votorantim – 11 vereadores, nenhuma mulher
Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí