Criminosos usaram explosivos para ter acesso a dois cofres. Agência do Banco do Brasil não foi invadida. Quadrilha assalta agência da Caixa em Araraquara
Redes sociais
A quadrilha que atacou duas agências bancárias no Centro de Araraquara (SP), nesta quinta-feira (24), conseguiu levar R$ 2,5 milhões em dinheiro, além de jóias, estimadas também em R$ 2,5 milhões, que estavam no cofre da Caixa Econômica Federal, segundo levantamentos preliminares da polícia. Ninguém foi preso.
A Caixa não confirmou se houve valores levados pelos assaltantes. Por meio de nota, informou que não houve feridos e que a unidade encontra-se fechada, para reparos aos danos sofridos. Disse ainda que informações sobre eventos criminosos são repassadas exclusivamente às autoridades policiais, e ratifica que coopera integralmente com as investigações dos órgãos competentes.
Segundo informações da Polícia Militar, os criminosos usaram explosivos, possivelmente metalon, que é altamente instável, para estourar dois cofres da agência.
No Banco do Brasil, a quadrilha não conseguiu invadir o local e deixou duas caixas de explosivo em frente à agência. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionado e retirou os explosivos que foram deixados na agência e detonaram o material em uma pedreira de Araraquara.
Quadrilha tenta assaltar bancos e troca tiros com a polícia em madrugada de terror em Araraquara; veja vídeo
Polícias Civil e Militar procuram por criminosos após madrugada de terror em Araraquara
‘Parecia filme do Rambo’, diz moradora de Araraquara sobre tiroteio em tentativa de roubo a bancos
FOTOS: ação de quadrilha deixa veículos incendiados e vias interditadas
Quadrilha usou 2 pessoas como escudo humano durante roubo a bancos
Gate retira explosivos de agência bancária em Araraquara
Amanda Rocha / A Cidade ON/Araraquara
Ação coordenada
Segundo o Comandante do 13º Batalhão da Polícia, Luiz Sérgio Mussolini Filho, a ação da quadrilha foi coordenada. Primeiro eles fizeram barricadas com dois carros e um caminhão na frente da unidade do batalhão, atearam fogo nos veículos e efetuaram diversos disparos contra os policiais militares que trabalhavam no atendimento 190 e na guarda da unidade.
Outra parte do grupo, que segundo a PM tinha, ao todo, entre 20 a 30 pessoas, foi para o centro da cidade para efetuar os roubos nas agências da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, localizadas na Avenida Brasil.
Quadrilha incendiou caminhões e carros para impedir ação da PM em Araraquara
Redes sociais
Houve troca de tiros, mas ninguém ficou ferido. De acordo com a PM, os assaltantes utilizaram duas pessoas que estavam nas proximidades como escudo humano, enquanto disparavam contra os policiais militares, que tentavam se aproximar.
A PM recebeu apoio policial de toda a região, com homens do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) de Ribeirão Preto, do 38º e 17º Batalhões de Polícia Militar do Interior, São Carlos e São José do Rio Preto, além de reforços de Piracicaba e Jaú.
Buscas
13° Batalhão da Polícia Militar de Araraquara foi alvo de quadrilha
A Cidade ON/Araraquara
Foram recolhidos diversos cartuchos deflagrados de grosso calibre , tanto em frente ao quartel da Polícia Militar, como em diversas vias do centro da cidade. Segundo a PM duas capsulas de metralhadora antiaérea também foram recolhidas.
As polícias Civil e Militar realizam buscas para localizar os os suspeitos que participaram da ação. Até o momento, ninguém foi preso. A polícia localizou, em um canavial, em Motuca (SP), um veículo com placas de São Caetano do Sul que foi furtado em Guarulhos.
Três caminhões foram incendiados durante a madrugada na Rodovia Antônio Machado Sant’Anna (SP-255) e deixaram o trânsito bloqueado nos dois sentidos para os motoristas que se deslocam entre Ribeirão Preto e Araraquara no início da manhã.
Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP), a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) conta com o apoio da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) para apurar o caso.
Veja mais notícias da região no G1 São Carlos e Araraquara.