Não há informações sobre a identidade dos pacientes. Depois de Pirassununga, essa é a segunda cidade da região que identifica amostras da variante. Variante delta desafia controle da pandemia no mundo
Getty Images via BBC
Leme (SP) registrou, nesta sexta-feira (13), os quatro primeiros casos de pacientes com a variante delta do novo coronavírus, causador da Covid-19, segundo análise da força-tarefa Covid-19 da Universidade de São Paulo (USP) de Pirassununga, integrante da Rede de Alerta de Variantes do estado de São Paulo, liderada pelo Instituto Butantan.
Esta é a segunda cidade da região a identificar moradores infectados com a variante, já que no dia 30 de julho, Pirassununga detectou o primeiro caso em um integrante da Academia da Força Aérea (AFA). Nesta sexta, a universidade divulgou que o município também acumula um caso importado da doença.
Não há informações sobre a identidade dos pacientes. O G1 procurou a Prefeitura de Leme para saber se novas medidas de enfrentamento à pandemia serão adotadas e aguarda retorno.
A variante delta do coronavírus (B.1.617), identificada pela primeira vez na Índia em outubro do ano passado, vem preocupando especialistas, países e entidades internacionais, além de brasileiras.
O governo de São Paulo confirmou no dia 7 de julho que a variante delta já circula no estado entre pessoas que não tiveram histórico de viagens para o exterior.
Veja 5 pontos sobre a variante delta
LEIA TAMBÉM:
Variante delta: veja perguntas e respostas
Entenda por que a chegada da variante delta preocupa
Veja sintomas mais comuns da variante delta do coronavírus
Variantes estão vencendo ‘corrida contra vacinas’ por desigualdade na aplicação
Análise de amostras
Segundo a universidade, foram sequenciadas 89 amostras entre 1º a 7 de agosto. Na região da DRS de Piracicaba, foram 32 amostras e outras 57 de diferentes DRS do estado de São Paulo.
Destas 32, 6 foram identificadas como a variante delta (B.1.617.2) e outras 26 foram da variante Gama e sua sub-variante P.1.7.
De acordo com a universidade, em específico foram identificadas 4 amostras do município de Leme como variante delta e duas do município de Cordeirópolis. As Vigilâncias Epidemiológicas das cidades já foram notificadas para o devido rastreamento e medidas sanitárias e a Secretaria de Saúde do Estado será notificada pelo Instituto Butantan.
Sintomas da variante delta
Acredita-se que assim como houve mutações do coronavírus, dando surgimento a variantes como a delta, também houve uma evolução nos sintomas da Covid provocadas por essas novas cepas.
O professor Tim Spector, que dirige o estudo Zoe Covid Symptom, no Reino Unido, diz que o sintoma mais comum da Covid por variante delta são as dores de cabeça. Em seguida, os sintomas mais comuns da variante delta são: dor de garganta, coriza (nariz escorrendo) e febre.
Alguns sintomas que eram muito pronunciados na versão original do coronavírus são menos comuns na variante delta. Com a delta, não há tantas ocorrências de tosse ou de perda de paladar e olfato.
Uma das preocupações das autoridades de saúde é que os novos sintomas da variante delta são muito semelhantes ao de um resfriado comum. Por conta disso, muitas pessoas sequer percebem que estão com Covid da variante delta, e acreditam estar meramente resfriadas, sem tomar medidas preventivas para impedir o contágio de outras.
Covid-19 em Leme
Leme tem 14.899 casos de Covid-19, sendo 405 mortes. Em agosto já foram registrados 10 óbitos. (Veja abaixo o gráfico)
Veja mais notícias da região no G1 São Carlos e Araraquara.