Diretora do Departamento de Vigilância em Saúde alega que governo estadual não enviou mais doses para o grupo. Estudante relata dificuldades com agendamento. Ribeirão Preto tem mais de 40 mil pessoas sem vacina contra a Covid, diz Prefeitura
A Secretaria de Saúde de Ribeirão Preto (SP) estima que cerca de 40 mil jovens de 18 anos ainda não conseguiram tomar a primeira dose da vacina contra a Covid-19.
Segundo a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Luzia Márcia Romanholi Passos, o governo estadual parou de enviar doses para esse grupo porque utiliza uma estimativa populacional menor que a considerada pela Prefeitura.
Ela explica que, com isso, os mais prejudicados são aqueles que chegaram à maioridade há pouco tempo e ainda não conseguiram se imunizar.
“Temos vários jovens nessa situação. Temos uma falta da vacina para a primeira dose nessa faixa etária em torno de 40 mil doses. Porque recebemos um quantitativo para a primeira dose insuficiente. (…) O estado parou de mandar para nós as primeiras doses e quando mandou novamente a grade de vacinas, já mandou para a faixa etária de 17 anos”, disse.
Além dos jovens, Romanholi afirma que um número considerável de pessoas com menos de 50 anos também não iniciou a imunização.
A diretora reforça que a cidade tem estrutura de aplicar essas doses o quanto antes e que, para isso, já solicitou ao estado o envio.
“É um número preocupante. A Secretaria de Saúde tem encaminhaido ao governo do estado, através da nossa Vigilância Epidemiológica (VGE), oficiado o governo para que ele nos encaminhe mais primeiras doses.”
De acordo com o vacinômetro do estado, Ribeirão Preto já vacinou cerca de 74% da população com a primeira dose (524.027 moradores) e 43% com as duas ou dose única (303.906 moradores).
A última estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada no dia 27 de agosto, aponta que a cidade tem 720.116 habitantes.
Luzia Márcia Romanholi Passos, diretora do Departamento de Vigilância em Saúde de Ribeirão Preto, SP
Reprodução/EPTV
Sem poder frequentar aulas
Ana Júlia Mateus Alves dos Santos é estudante do terceiro ano do ensino médio e uma das pessoas de 18 anos que ainda não receberam a vacina.
Como tem asma, ela revela preocupação e lamenta o fato de ainda não poder frequentar as aulas presenciais.
“Estou no terceiro ano do ensino médio, chegando na reta final. Vou prestar vestibular e preciso voltar para a escola, mas sem a primeira dose da vacina não posso. [Atrapalha] Muito. A maioria das pessoas já voltou, e eu não posso. Preciso dar um jeito de conversar com meus professores e correr atrás do conteúdo que estou perdendo.”
Frascos com doses das vacinas da Pfizer, da AstraZeneca e da CoronaVac
Adriano Ishibashi/Framephoto/Estadão Conteúdo
A estudante diz que tentou agendar quando completou 18 anos no dia 27 de agosto, mas não conseguiu e vem tentando desde então.
“Tenho problemas respiratórios e fico mais doente do que o normal. Então acho que se eu pegasse Covid, ficaria bem pior. [Importante tomar a vacina] Para me proteger, para me sentir mais segura e sentir que eu posso sair de casa um pouco mais tranquila”, completa.
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca
VÍDEOS: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e região