TV TEM começou nesta segunda-feira (23), as entrevistas com os candidatos do 2º turno. A ordem das entrevistas foi definida por sorteio. TEM Notícias entrevista candidata à prefeitura de Bauru, Suéllen Rosim (Patriotas)
TV TEM/ Reprodução
O TEM Notícias começou nesta segunda-feira (23) as entrevistas com os dois candidatos à prefeitura de Bauru (SP) que disputam o 2º turno: Suéllen Rosim (Patriotas) e Dr. Raul (DEM).
A ordem das entrevistas, que têm 12 minutos de duração, foi definida em um sorteio realizado pela internet com a presença de representantes dos candidatos.
Nesta segunda-feira, a entrevista foi Suéllen Rosim. Na terça-feira (24), será a vez de Dr. Raul.
Suéllen Rosim tem 32 anos e é jornalista. Ela disputa a eleição para cargo de prefeita pela primeira vez. Foi candidata à deputada estadual em 2018 e ocupa o cargo de suplente do partido.
Assista abaixo:
TEM Notícias entrevista Suéllen Rosim, candidata a prefeita de Bauru
Confira abaixo a transcrição da entrevista:
TEM Notícias: A senhora é nova na política, se candidatou há pouco tempo para deputada estadual, teve pouco mais de 36 mil votos, quase foi eleita, agora disputa o cargo de prefeita nesse segundo turno. O que garante que a senhora, se for eleita, não vai deixar o cargo pra tentar ser deputada?
Suéllen Rosim: O que garante é que eu sempre estive interessada no melhor para Bauru. Acredito que o espaço que eu tive em 2018 foi uma oportunidade daquele momento, mas a minha oportunidade hoje é ser a prefeita que vai escrever uma nova história para Bauru. Então, eu posso garantir a você, a você que me deu o seu voto de confiança, que eu vou governar os quatro anos porque meu maior interesse é por uma cidade que atende a região como um todo. Então, eu digo assim, o objetivo sempre foi fazer o melhor para essa região. Bauru é a maior cidade que nós temos. Então, vou fazer quatro anos de mandato com muito trabalho e espero entrar para a história dessa cidade como a prefeita que fez o que muitos não conseguiram fazer até agora.
TEM Notícias: A senhora teve a prestação de contas da candidatura passada negada pela Justiça. Foi condenada a devolver R$ 25 mil, não cumpriu o acordo de parcelamento e a Advocacia Geral da União retomou o cumprimento dessa sentença. No seu plano de governo, a senhora diz que quer um governo isento, honesto e transparente. Como acreditar se a senhora não cumpriu esse acordo da prestação de contas?
Suéllen Rosim: Um governo transparente e é justamente com essa transparência que eu conto à população a verdade sobre tudo isso. Em 2018, fui candidata para ser deputada estadual e vale ressaltar que nós tivermos a nossa prestação de contas apresentada à Justiça Eleitoral e grande parte dela foi justamente aprovada, senão eu não estaria aqui hoje como candidata, ficha limpa e com possibilidade de, sim, chegar à prefeitura de Bauru. Nós tivemos na época a prestação de contas apresentada e alguns recibos foram solicitados. Um ajuste, uma correção e, na época, os responsáveis por esses ajustes tiveram um erro e nós perdemos o prazo. Eu assumi esse compromisso de devolver o valor e ao contrário do que você diz esse valor será devolvido em um parcelamento. Então não há dúvida em relação a isso, mas vale ressaltar.
TEM Notícias: Mas segundo a Justiça isso já deveria estar sendo pago.
Suéllen Rosim: Já está em andamento. Eu não vou deixar de devolver esse recurso porque dentro da Justiça Eleitoral isso é extremamente, não digo comum, mas erros acontecem e o que me garanto é não repetir o mesmo erro. Hoje eu me cerco de bons advogados e de bons contadores. Esse valor será devolvido parcelado de acordo com meu orçamento real para isso, para conseguir fazer essa devolução e eu não vejo nenhum problema. Foi uma notícia antiga de dois anos atrás que foi colocada por grande parte de opositores como corrupção, como lavagem de dinheiro. E isso é mentira, até porque o outro candidato também teve reprovação de contas em alguns pontos. Então, eu estou aqui com toda a verdade e posso garantir a vocês que eu farei meu trabalho com excelência. Eu não estou falando de um governo cheio da perfeição, existem ajustes a serem feitos, mas pode ficar tranquilo que eu vou administrar com muita excelência e com muita transparência. Transparência é essa que eu não tenho problema nenhum em olhar para você e falar sobre a prestação de contas, mas a gente tem que ressaltar que não é só a Suéllen e isso precisa deixar claro, isso passa despercebido e eu posso garantir para vocês que administração será transparente como eu estou sendo transparente com quem está comigo. Agora eu não vou admitir levar o nome de corrupção, porque se eu não fosse ficha limpa eu não estaria aqui e vou enfrentar muitos problemas, já enfrento e mentir, me colocar no pacote de corrupção, eu não vou aceitar jamais.
TEM Notícias: No seu plano de governo, a senhora diz que vai reduzir as secretarias e os cargos comissionados, aquelas pessoas que são contratadas sem concurso público. Hoje são 14 secretarias e 86 cargos comissionados, segundo o levantamento da atual administração. Quantas secretarias e quantos cargos comissionados você pretende ter?
Suéllen Rosim: Uma das nossas propostas foi realmente reduzir essas secretarias e a gente vai fazer isso de forma muito real e muito efetiva com a população e eu não teria dificuldade em limitarmos os cargos comissionados porque eu quero trabalhar com pessoas que já estejam. Existem muitos profissionais dentro da prefeitura há muitos anos que tem total condição de nos ajudar nesse governo. Eu terei muita tranquilidade porque eu não fatiei a prefeitura com antecedência. Então, vou escolher de forma técnica, de forma coerente porque a gente não administra a prefeitura só em números. Espero tentar reduzir o máximo que eu conseguir e se você olhar na minha proposta diz que eu vou propor uma redução de secretarias para que a gente tenha mais tranquilidade na máquina e nós estamos definindo com muita responsabilidade, porque eu preciso primeiro chegar lá, ser prefeita. E eu posso garantir que nós não teremos uma máquina inchada e cargos comissionados apenas para devolver apoio políticos, porque eu não fiz apoios políticos e o que me trouxe aqui foi realmente o voto da população e assim que eu vou manter até o fim.
TEM Notícias: A senhora está falando sobre cargos comissionados, do outro lado dessa balança tem os servidores municipais concursados. A senhora fala também no seu plano de governo de valorização desses servidores. A senhora quando trata de valorização, com certeza, o servidor que está ali do outro lado pensa, claro, no reajuste salarial. Como fazer essa valorização com reajuste salarial sendo que a folha está no limite?
Suéllen Rosim: Exatamente, com folha no limite, a gente vai abrir um diálogo extremamente importante com você, funcionário público. Quando eu falo da valorização eu não estou falando somente dos recursos financeiros. Porque muitos de vocês que eu conversei nas ruas, que eu tive o privilegio de debater as questões de Bauru, muitos de vocês me pediram melhores condições de trabalho, valorização, discutir junto com o funcionário as questões do município e eu acredito muito que nós temos dentro da nossa estrutura de funcionalismo muita gente talentosa e comprometida com Bauru e não apenas comprometida com uma fatia da cidade. Então, quando eu falo de valorização é de encontrar esse funcionário no corredor porque eu quero fazer o melhor mandato da minha vida. Eu não vou conseguir fazer isso se o funcionário público não estiver feliz em me encontrar como prefeita. Eu tenho certeza que eu não terei dificuldade de, junto aos funcionários, abrir um diálogo verdadeiro, real e presente para que a gente governe a cidade com excelência. Não dá para fazer isso sem eles e o que eu estou dizendo a vocês é que vocês terão valorização e sempre o diálogo dentro da transparência e da verdade. Eu não vou destruir nada, eu vou simplesmente aproveitar o que nós temos e dar a você o que você merece. Aquilo que estiver ao meu alcance para a população e o funcionário publico eu vou fazer. Jamais evitar os direitos ou desfazer o que está dando certo, a gente veio para fazer o que tem funcionar.
TEM Notícias: A senhora está falando no seu plano de governo também de um problema que Bauru está vivendo que é uma crise hídrica sem tamanho, rodízio na cidade. E a senhora fala, promete, abastecimento de água 24 horas por dia em todos os bairros da cidade. Entra prefeito e sai prefeito, candidata, e essa é a mesma promessa há anos. Como a senhora vai resolver?
Suéllen Rosim: É por isso os que eu não prometi, eu me comprometi a solucionar os problemas. Uma coisa é você fazer uma promessa, eu estou me comprometendo 100% porque eu sei que dou conta de fazer isso. Você comentou bem. Uma coisa importante, se vive agora, não, gente não vive a falta de água só agora. Eu mesmo enquanto profissional muitas vezes saí percorrendo os quatro cantos da cidade, os bairros com falta da água, ouvindo a população. A gente vai começar primeiro com planejamento, porque se tivéssemos uma organização muito maior, já teria pensado nisso em outras administrações, de que a cidade iria crescer e ia chegar o momento em que a gente ia bater no prolema da falta d’água. Então, com planejamento, com gente que entende do assunto, o DAE não é um cabide de emprego, o DAE tem bons funcionários, o que a gente vai fazer na minha administração é perfurar novos poços, mas não vou fazer isso só quando faltar água, só dependendo do tempo. Não dá pra depender do tempo para dar o essencial para a população, então a gente vai sim perfurar novos poços, vamos dar um olhar atento para o Batalha e eu falo isso, gente, na primeira semana de governo. A gente tem que discutir esse assunto porque não são só 140 mil pessoas que têm falta d’água, que enfrentam essa situação, a cidade toda está cansada dessas notícias. Então, como você vai fazer isso Suéllen? Fazendo. Organizando a casa, evitando o vazamento de água que é um grande problema que nós temos na cidade, trocando os nossos hidrômetros que também podem nos ajudar nessa economia, então são coisas que não precisam ser muito ditas, precisam ser feitas. Então, quando eu falo que vou fazer o que é necessário, é que vai ser uma demanda inicial no meu governo. E vale ponderar: com planejamento e com gente que entende do assunto água. Porque eu estou aqui para solucionar problemas e eu não vou fazer isso sozinha. Se engana quem pensa que uma prefeita vai lá, só ela no DAE ou na Emdurb, não, a gente vai fazer isso com gente que entende do assunto.
TEM Notícias: Da água para a saúde, candidata. A senhora fala também no seu plano de governo de oferecer agendamento online de consultas para toda a rede pública. Mas como resolver a falta de profissionais médicos, por exemplo, nos postos e centros de saúde da cidade?
Suéllen Rosim: Exatamente, mas o grande problema da tecnologia, a grande solução da tecnologia é justamente a gente mapear cada ponto da cidade. Eu preciso dar uma ressalva muito importante, o meu vice é o doutor Orlando Costa Dias, um grande gestor hospitalar, será um grande parceiro, não o nosso secretário de saúde, mas um vice extremamente ativo e nós vamos modernizar o nosso setor da saúde. Porque hoje nós não sabemos exatamente quais os pontos, os medicamentos necessários em uma farmácia, a gente não consegue interligar essas situações, então é lógico que a tecnologia passa a ser nossa grande aliada, é um investimento que vai nos trazer bons resultados. Temos complicações com médicos, sim, com outros profissionais, teremos, mas a gente vai trabalhar, não só com o apoio em grandes mutirões, em organizar nossa casa, em fazer com que a saúde básica tenha um olhar muito especial para a gente conseguir realmente atender a população desde o início para poder descomplicar no fim.
TEM Notícias: Como fazer isso, candidata? Essa digitalização, tudo isso que a senhora está falando com a cidade depois de um ano pós pandemia com todo esse problema econômico?
Suéllen Rosim: Existe em andamento uma questão tecnológica que a gente não quer fazer, dar continuidade, eu quero que funcione de verdade. E você falou bem, nós temos um orçamento extremamente limitado, R$ 60 milhões a menos é muito dinheiro. Então o que eu vou fazer? Nós vamos organizar a nossa casa como você organiza na sua. A gente precisa pagar as nossas coisas do mês, fechar o nosso mês e, lógico, vou buscar fora aquilo que for necessário. Eu tenho uma excelente relação com o suplente a deputado estadual, eu tenho uma grande relação fora de Bauru para que a gente consiga ajustar a casa e ter os recursos necessários para fazer isso. A gente vai organizar porque muitas coisas que acontecem em Bauru hoje acontecem por falta de planejamento por projetos errados e no tempo errado e com os recursos errados. Isso não vai mais acontecer.
TEM Notícias: Candidata, nós temos mais um minuto a partir de agora, suas considerações finais.
Suéllen Rosim: Gente, eu vim aqui para fazer diferente do que foi feito até agora. Então, eu quero pedir o seu voto de confiança para mostrar que uma mulher de 32 anos, jornalista, sim, com muito prazer e muito orgulho, tem total condições de gerenciar Bauru, de fazer essa cidade andar para frente. Então, eu peço de verdade o seu voto de confiança. Vote 51. A gente vai fazer o que a gente tem funcionar, sem promessas mentirosas. Eu não estou aqui para mentir. Nós vamos enfrentar muitos problemas, mas com muita verdade, com muito compromisso. Então, peço seu apoio. Vote 51. Dá para fazer diferente. Você pode contar comigo, com meu apoio, você vai ter o serviço público que você realmente merece. Então eu conto com você e sua família neste domingo para escrever uma nova história para Bauru. Eu garanto a você e não vou te decepcionar.
Veja mais notícias da região em G1 Bauru e Marília
Veja mais notícias do centro-oeste paulista: